UNICEF entrega equipamento para a Unidade Neonatal do Hospital Central de Maputo


Maputo, 02 de Julho de 2021: O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) faz a entrega de um novo equipamento neonatal ao Hospital Central de Maputo (HCM), uma oferta aos recém-nascidos de Moçambique, nesta que é a maior Unidade Neonatal do País.


O investimento feito pelo UNICEF no Hospital Central de Maputo surge com o objectivo de:

Melhorar a qualidade de cuidado prestado aos recém-nascidos aqui internados, aumentando a sua possibilidade de sobrevivência;

Melhorar as condições de trabalho dos profissionais que se dedicam a salvar vidas de recém-nascidos doentes e/ou pequenos;

Elevar o nível técnico desta maior Unidade Sanitária do país para realizar cabalmente o seu papel de formadora das diferentes equipes das Unidades Neonatais do Pais.


O investimento de 200.000 USD foi utilizado para a reabilitação da infraestrutura (criando espaço específico para recém-nascidos gravemente doentes, recém-nascidos prematuros e para os com infecção. Foi igualmente melhorado o espaço para a realização do método canguru, essencial para salvar vidas dos bebés prematuros. Foi fornecido equipamento neonatal diverso que estava em falta como mesas de reanimação neonatal, bombas de infusão, monitores, aparelho de fototerapia entre outros, para além dos que serão utilizados no sector público, pela primeira vez em Moçambique, como os ventiladores neonatais e aparelhos convencionais para a pressão positiva contínua na via aérea ou CPAP (Continuous Positive Airway Pressure). Esta intervenção foi focada naquelas que são as maiores causas de mortalidade neonatal do país, como a prematuridade, complicações do parto – a asfixia e as infecções.


Esta intervenção é parte de uma abordagem nacional adoptada pelo Ministério da Saúde (MISAU), inscrita no Plano de Plano de Acção para Cada Recém-nascido, então lançado pelo Ministro da Saúde em 2020, e evidenciado em outros países como uma estratégia de alto impacto para a redução da mortalidade neonatal. Ela consiste em criar e operacionalizar Unidades Neonatais a nível dos distritos (onde se encontram cerca de 75% dos recém-nascidos com necessidade de cuidados adicionais).


O UNICEF com fundos próprios e de doadores (com destaque para USAID e FCDO-UK) apoia 25 hospitais em Moçambique, correspondendo a 38% de todos os hospitais do país. O apoio abrange 16 hospitais distritais, 2 gerais, 3 provinciais e 4 centrais, situados nas províncias de Niassa, Nampula, Zambézia, Tete, Sofala, Maputo Província e Maputo Cidade, nomeadamente: Nacala Porto, Angoche, Monapo e Moma na Província de Nampula; Mocuba, Gúruè e Milange na Província da Zambézia; Songo, Ulónguè e Mutarara na Província de Tete, e seus respectivos hospitais provinciais/centrais que têm sido apoiados desde 2018; e hospitais distritais de Cuamba e Marrupa; Hospital Provincial de Lichinga; Hospitais distritais do Búzi, Nhamatanda, Dondo e Caia; e Hospital Central da Beira, Hospital Provincial da Matola, Hospital Geral José Macamo e Hospital Geral de Mavalane, no grande Maputo, desde finais de 2020.



O Hospital Central de Maputo está envolvido nesta iniciativa desde o início, como local de formação das equipes das diferentes províncias e conta com o apoio técnico da AMOPE – Associação Moçambicana de Pediatras. Um total de 132 profissionais de saúde já foram treinados em todo o pais.


A operacionalização das Unidades Neonatais está dividida em 6 etapas: Desenvolvimento de materiais de Formação (AMOPE); Formação de formadores da AMOPE e provinciais e Formação provincial para equipes distritais; Assegurar a disponibilidade de água para lavar as mãos e a qualidade da eletricidade por meio de reabilitação em pequena escala;Provisão de equipamento neonatal essencial; Visitas trimestrais de apoio técnico pelos formadores da AMOPE e da Direcção Provincial; Monitoria e avaliação.(Moz24h)

27 visualizações0 comentário