União Europeia não vai enviar forças militares para Cabo Delgado


Não está nos planos, o envio de uma força militar da União Europeia para combater o terrorismo na província de Cabo Delgado no extremo norte de Moçambique. A posição é do Embaixador da União Europeia no país, António Sanchez Benedito Gaspar, a Radio França Internacional.

Para o embaixador da União Europeia em Moçambique a situação dos ataques terroristas é preocupante mas o envio de uma força militar está posta de lado diz António Sanchez Benedito Gaspar: «Não está na agenda. Estamos a falar de reforço das capacidades de Moçambique para que sejam as próprias forças de segurança de Moçambique capazes (ndr: de resolver a situação). Portanto, há muitas modalidades, mas sempre de reforço às capacidades de Moçambique».

A assistência humanitária aos, pouco mais de, 500 mil deslocados vai continuar apesar do desafio que isso representa.

A Organização Internacional das Migrações estima que existam mais de 7 mil deslocados no centro de Moçambique, em fuga de ataques armados em zonas por onde vagueia a Junta Militar. Refira-se que a tropa paramilitar Wagner, com mercenário Russos esteve em Cabo Delgado e no terreno continuam a Dicy Advisory que faz suporte áereo as forças armadas e não são conhecidos os detalhes dos contratos. (Moz24h)

123 visualizações0 comentário