"Terrorista" Bonomado Machudo Omar, nativo de Cabo Delgado na lista negra dos EUA


Os Estados Unidos anunciaram ontem ter colocado na sua lista negra de «patrocinadores do terrorismo internacional» cinco dirigentes de grupos jihadistas africanos, nomeadamente do Sahel e dos Shebab mas igualmente Bonomade Machude Omar que dirige o departamento militar e o pelouro da diplomacia do Estado Islâmico em Moçambique.

De acordo com o Departamento de Estado norte-americano, "Bonomade Machude Omar, também conhecido como Abu Sulayfa Muhammad e Ibn Omar, lidera os Departamentos de Assuntos Militares e Externos do ISIS-Moçambique e actua como comandante sénior e coordenador principal de todos os ataques realizados pelo grupo no norte de Moçambique”, palco de violências desde 2017 que causaram acima de 2800 mortos e centenas de milhares de deslocados.

Washington refere nomeadamente que “durante o ataque de Março de 2021 a Palma, Omar liderou um grupo de combatentes enquanto Abu Yasir Hassan, o líder do ISIS-Moçambique, liderou outro grupo de combatentes.” Segundo as autoridades americanas “Omar também liderou o ataque ao Hotel Amarula em Palma. Omar foi responsável por ataques na província de Cabo Delgado, em Moçambique, e na região de Mtwara, na Tanzânia.”

O Departamento de Estado americano colocou igualmente na sua lista negra Sidan Ad Hitta, comandante responsável da região de Kidal, no Mali no seio do Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos, um grupo jihadista local, Salem Ould Breimatt, alto dirigente desse mesmo movimento, os restantes dois integrantes da «lista negra» sendo Ali Mohamed Rage e Mohamed Abdikadir, ambos altos responsáveis dos Shebab na Somália.

Os cinco responsáveis citados na lista estabelecida pelos Estados Unidos serão alvo de uma série de sanções. "Todas as propriedades e interesses na propriedade desses indivíduos devem ser bloqueados e notificados ao Departamento de Controlo de Activos Estrangeiros do Departamento das Finanças. Além disso, as pessoas que participam em certas transacções com as pessoas designadas podem vir a ser alvo de sanções. Além disso, qualquer instituição financeira estrangeira que conscientemente facilite uma transacção financeira significativa ou forneça serviços financeiros significativos para as pessoas designadas hoje pode estar sujeita a sanções”, informou o Departamento de Estado.


“Os Estados Unidos estão empenhados em interromper os métodos de financiamento do ISIS-Moçambique, JNIM e al-Shabaab - todos designados como Organizações Terroristas Estrangeiras - limitando as suas capacidades de conduzir novos ataques contra civis” esclareceu o departamento liderado por Antony Blinken para quem “enfrentar a ameaça terrorista em todo o continente exigirá trabalhar em estreita colaboração com os parceiros dos Estados Unidos para reduzir a capacidade e as operações desses grupos terroristas, combatendo o seu poder e influência no oeste, leste e sul da África.” (RFI)

164 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo