Repovoamento faunístico assegura desenvolvimento do turismo baseado na natureza


Por: Anselmo Sengo


A Administração Nacional das Áreas de Conservação, ANAC, está apostada no repovoamento faunístico das áreas de conservação com o objectivo de assegurar o desenvolvimento do turismo baseado na natureza. A título de exemplo, só no período de 2015 a esta parte foram repovoados 5.389 animais de diferentes espécies e nesta terça-feira, 18 de Junho, o parque nacional de Zinave localizado no distrito de Mabote, província de Inhambane recebeu 58 zebras, de um total de 670 animais de espécies diferentes que espera receber ate ao fim do ano.


Com oito anos de existência, cujas celebrações tiveram lugar no dia 1 de Junho findo no distrito de Matutuine, província de Maputo, a ANAC é uma instituição responsável pela conservação da biodiversidade e o desenvolvimento do ecoturismo no país. Ao longo da sua existência tem-se destacado por aprimorar os seus métodos de planificação, coordenação e execução de actividades nas áreas de conservação.

Em todo o país, as áreas de conservação administradas pela ANAC ocupam cerca de 25% do território nacional, incluindo sete parques e igual número de reservas nacionais e ainda 70 áreas de caça desportiva divididas em 20 coutadas oficiais, nove blocos de caça, 13 programas comunitários e 31 fazendas de bravio.

Falando por ocasião da celebração dos oito anos, o director geral da ANAC Mateus Muthemba destacou a restauração do estado ecológico das Áreas de Conservação, através do repovoamento faunístico nas Áreas de Conservação.

Dados apresentados pelo director geral, indicam que foram repovoados 5.389 animais de diferentes espécies no período de 2015 a esta parte. Deste número, o parque nacional de Zinave localizado no distrito de Mabote, província de Inhambane vai receber este ano, 2019 corrente, 670 animais de espécies diferentes como zebras, girafas, avestruzes, pala palas, changos e búfalos.

Nesse contexto, o parque de Zinave recebeu esta terça-feira, 18 de Junho, 58 zebras provenientes do Parque Nacional do Kruger, na vizinha África do Sul, perfazendo 91 desde o início da operação. Aliás, espera-se translocar um total de 200 zebras até ao fim do processo,

Esta iniciativa, de acordo com Mateus Muthemba, insere-se no programa do governo de restaurar as áreas de conservação, com forma de assegurar o desenvolvimento do turismo baseado na natureza.

“Porque a recuperação da vida selvagem nas áreas de conservação nacionais está a atingir níveis satisfatórios, a translocação das avestruzes, pala palas, changos e búfalos será uma operação completamente interna, com animais provenientes de Banhine, Gorongosa e Marromeu”, explicou o director geral da ANAC.

Sublinhou ainda que o sucesso que a instituição está a registar resulta do reforço da capacidade técnica, através da formação e alocação de novos quadros, melhoramento do nível de conhecimento através de estudos e estabelecimento de centros de pesquisa na Gorongosa e no Bazaruto, incluindo o incremento do volume do financiamento nas Áreas de Conservação, através dos acordos de parceria público- privado.

Na vertente da fiscalização e combate à caça furtiva, Mateus Muthemba destacou o melhoramento dos mecanismos de articulação entre a Administração Nacional das Áreas e Conservação e os Órgãos de Administração da Justiça no combate a crimes contra a vida selvagem e ainda, o melhoramento da capacidade do corpo de fiscalização na recolha de evidências no local do crime e na abertura de autos processuais contra os implicados nos crimes ambientais.

Mateus Muthemba fez saber igualmente que estão a reduzir os níveis da caça furtiva nas áreas de conservação, particularmente na Reserva Nacional do Niassa que, em Maio de 2019, completou um ano sem registo de caça furtiva. Esta realização histórica, segundo Muthemba, é fruto da alocação de avionetas e de outros meios circulantes, bem como, do esforço de Governo no reforço da capacidade de protecção das áreas de conservação, através de alocação de Forças Especiais de Intervenção Rápida que trabalham em colaboração com o Fiscais da Reserva e com a Polícia de Protecção dos Recursos Naturais e Meio Ambiente.

0 visualização

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI