Raptos continuam à luz do dia em Moçambique e polícia não dá respostas


O crime de sequestros continua a abalar a sociedade moçambicana, sobretudo pelo fato de assumir contornos que envolvem crianças raptadas, como o ocorrido na terça-feira, 10, com um menor de 12 anos de idade.

O vice-ministro da Justiça, Filimao Suaze, condenou o crime que ocorreu em plena luz do dia na capital, Maputo

“Felizmente a tecnologia foi bastante útil e oxalá que a Polícia com o apoio das imagens que circulam logre encontrar as pessoas e proceder em conformidade para que sejam devidamente responsabilizadas”, disse Suaze.

Este caso junta-se a tantos outros que ainda não foram esclarecidos pela polícia e que continuam a ser investigados, como acrescenta o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM, Leonel Muchina.

“Nós recebemos esta denúncia, esta ocorrência e associamo-nos à SERNIC num processo profundo de investigação e ansiamos que o mais rapidamente possível possamos ter esses indivíduos neutralizados e o menor de volta ao convívio familiar”, afirmou Muchina

A sociedade civil moçambicana condena a inoperância das autoridades face este crime e o advogado Arlindo Guilamba diz que “esta é uma situação preocupante para qualquer cidadão moçambicano”.

Para ele,“são crimes organizados e a nossa polícia ainda não encontrou um antídoto não só para esclarecer mas também para encontrar meios de prevenir estes crimes”. (VOA)

0 visualização

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI