Prossegue a guerra dos rubis em Montepuéz


Por Estacio Valoi


Depois do mais recente desabamento de terra, ocorrido há cerca de duas semanas em ‘ maningue Nice’ zona epicentro da mineradora Montepuez Rubi Mining (MRM) onde mais de uma dezena de pessoas perdeu a vida, eis que no sábado, dia 22, centenas de pessoas mais uma vez tomaram de assalto a área da (MRM)

A empresa Montepuez Ruby Mining (MRM), uma ‘ joint venture entre a inglesa Gemfields com 75% e a sua congénere Moçambicana Mwriti.lda com 25% em resultado de uma parceria ocupa uma área de 33.600 hectares em Namanhumbiri-Montepuez, considerada a maior reserva mundial com 40% deste precioso e procurado mineral.

Na guerra pelos rubis nas terras vermelhas de Namanhumbir mais um incidente teve lugar entre a população e a empresa (MRM), como sempre causando vitimas. Foram ‘ muitas pessoas ‘ que se fizeram a mina.

Segundo apurou o Moz24h do terreno, o incidente começou na sexta-feira por volta das 16 horas quando de repente o som das balas dos elementos da segurança da empresa ecoaram pondo a população os vulgo garimpeiros em debandada, numa fuga frenética ‘ cada um fugiu para onde podia.”

Os ditos “garimpeiros, ladrões”, as associações marginalizadas milhares de hectares tomados pelas multinacionais sem ‘ partilha ‘ para as pessoas locais a pobreza vai – se agudizando a cada dia que passa, sem áreas propícias onde explorar o Rubi numa província ricamente pobre sem beneficio palpável para as comunidades.

Uma das pessoa que supostamente se apropriou de terras pertencentes ao agricultor que inicialmente descobriu os rubis, é o general Raimundo Pachinuapa, membro da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) e, ex-governador da província de Cabo Delgado, onde fica Montepuez.

“ Eram volta das 16 horas de sexta quando a polícia chegou em maningue Nice. Eram muitas pessoas. Começaram a disparar e mataram dois garimpeiros. Como já estava a ficar escuro, os garimpeiros combinaram voltar no dia seguinte , isto dia 22, j’a de madrugada foram lá a maningue Nice- escritório, onde estava a segurança, queimaram um carro mas outro fugiu com os motoristas. Um motorista foi levado para Hospital em pemba e um ‘ Nacatana morto.”

As áreas de rubi de Montepuez, em Moçambique, já são um terreno de terror, conflitos entre as forças de segurança que guarnecem a riqueza, as pedras preciosas da gigante do Reino Unido, a MRM-Gemfields.

Centenas de moçambicanos, estrangeiros, mineiros artesanais, pessoas da comunidade vão sendo removidos compulsivamente.

Ainda segundo fontes no local, ontem, Domingo, três garimpeiros foram baleados e uma rusga foi encetada sobre Nanhupo.

“Depois a polícia saiu foi para Nanhupo e retiraram pessoas. Outros fugiram com carros deles para Muaja e outros lugares.” Disseram fontes.

Segundo o comunicado de imprensa da mineradora Ruby Mining Limited (MRM) , não assinada a que o Moz24 teve acesso a mesma apenas reconfirma o incidente do dia 22 de Fevereiro relatando que por volta das 06:00 daquele dia um veiculo da sua empresa foi emboscado por um grande grupo de mineiros ilegais e os passageiros foram atacados com picaretas. O ataque ocorreu dentro da concessão de mineração da MRM, próximo do poço Maning Nice. Três funcionários da MRM ficaram gravemente feridos durante o ataque e um membro da equipa de segurança privada sofreu ferimentos leves. O veículo foi incendiado e destruído pelo fogo.”

E que para a mesma “ Parece que as mulheres e crianças, que são propositalmente destacadas pelos sindicatos ilegais para impedir a polícia de Moçambique de sere coagida a estar presente.”

221 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI