• estaciosvaloi

PRM interpela jornalistas do CJI em plena actividade na cidade de Pemba...


Na passada terça-feira, dia 21, Estacio Valoi e Luis Nhachote, jornalistas e mentores do Centro de Jornalismo Investigativo (CJI) foram objectos de uma perseguição de elementos da Policia da República de Moçambique (PRM) na cidade de Pemba, pelo facto de terem fotografado a viatura em que aqueles se faziam transportar. Eram cerca de oito horas quando os jornalistas, numa das ruas mais badaladas de Pemba, no trajecto do Pemba beach -Maringanha e o Farol decidiram fazer uma uma reportagem fotografica sobre as condições degradáveis da referida rua, e, a policia, que passava por uma cratera que deu lugar a uma das ‘lagoas’ sentiu-se “ofendida” e decidiu ir dar uma volta mais adiante e voltar para mandar os jornalistas pararem, entregarem as máquinas fotográficas para apagarem os registos.


Os mentores do CJI iam em direcção ao Pemba Dolphin local onde iria decorrer a formação de Jornalistas sobre jornalismo de investigação, e, de fronte da ‘ lagoa’ do restaurante Pizza e Mariscos, em via pública, no momento passava uma viatura da polícia de Moçambique (PRM) da 3 esquadra, no meio da água turva veio o ‘ Click’ das fotos do Estacio Valoi.


São milhões de meticais já gastos em nome da construção, reabilitação da rodovia. Sempre a mesmo cenário em dias de chuva e /ou época chuvosa com o conhecimento do governo. Já na época Guebuziana ' canoas ‘e aluguer’ foi um projecto proposto.


São viaturas que passavam, outras davam meia volta e, algumas ficavam pelo meio da água que consumia os seus motores de arranque e mais alguma coisa. Como dizia alguém ‘ Fora eu engenheiro dos CFM para ajudar a senhora a sair do meio da agua’.


Coincidentemente pelo lago passava o carro da polícia e, as quatros rodas ficaram lodadas e, a camara fotográfica não parava de disparar. Eram apenas carros.

Só nos apercebemos de que se tratava de uma perseguição a nossa viatura, quando fomos interpelados, pela mesma viatura da policia que deixaramos atras.


Foi dai, que Dois dos três agentes dirigidos ao Estacio, trajados com uniforme a “ Pingo de Chuva’ saltaram da sua viatura, para dar uma ordem no estado ditatorial, que ‘e Moçambique, segundo recentes estudos feitos por organizações……foi uma ordem, inquisição abruta.

Porque tiraram as fotos?Questionaram os dois agentes, e, mais uma vez antes de nós respondermos, a polícia ameaçando, exigiram que apagássemos as fotos. ‘ Não apago as fotos, disse para a polícia, não vou.


Sem exitar negamos, recusamos ir a polícia, e explicamos que para além da nossa profissão como jornalistas, estávamos num lugar, sitio público.

Contudo, os agentes da policia insitiam que fossemos a policia, e que apagássemos as imagens fotográficas, mas apesar das ameacas, não apagamos, porque segundo a constituciao da Republica de Mocmabique, a lei de imprensa e a carta das nações, e ilegal. Infelizmente, a polícia não percebe de leis.


PRM quer contrariar a “Visão presidencial?”

Com a acção retromencionada, temos o entendimento de que existem no seio da policia alguns agentes com vontande inconfessável de contrariar a visão presidencial de Nyusi, emanana no seu primeiro discurso de tomada de posse em 2012, quando disse e passamos a citar: “Quero que os Moçambicanos vivam num país cada vez mais iluminado, muito para além das sedes distritais, com fontes de energia diversificadas, com mais acesso à água potável e a infraestruturas de saneamento e que tenham o acesso universal às tecnologias de informação e comunicação” (Moz24h)

323 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI