Presidente da República alerta para iminência da terceira vaga da Covid-19


Novas restrições entram em vigor no sábado, 26

O Presidente da República Filipe Nyusi, alertou na quinta-feira, 24, para a iminência de uma terceira vaga da Covid-19 no país, mais contagiosa e com um elevado nível de mortalidade. “Estamos na iminência de uma terceira vaga que será bem mais grave” alertou Filipe Nyusi numa mensagem à nação em que criticou o comportamento das pessoas. O Chefe de Estado apontou que situação se deve, essencialmente a dois factores, nomeadamente, o relaxamento das medidas de prevenção que se vem verificando a todos os níveis e a descoberta da variante indiana Delta, que coloca a cidade de Tete, em particular, num iminente risco de sobrecarga dos hospitais locais. Nyusi anunciou novas medidas restrictivas, que encontram em vigor no sábado, 26, para conter a propagação da doença, entre elas o recolher obrigatório que recuou uma hora, voltando a ser das 22 horas às 4 horas da manhã, o encerramento das praias, teatros e auditórios, a redução para um máximo de 40 do número de participantes em cultos religiosos em locais fechados e 75 em espaços ao ar livre. Os restaurantes voltam a fechar às 20 horas, menos uma que no decreto anterior. Para o cumprimento rigoroso desta medidas, Filipe Nyusi anunciou que haverá reforço da supervisão por parte das autoridades policiais. "Há necessidade de atrasar e mitigar a terceira vaga" destacou o Presidente moçambicano, garantindo que o seu Governo procurar encontrar mais vacinas. No entanto, lembrou que, "por razões que não controlamos - e que não afectam só Moçambique - há uma carência generalizada de vacinas" e pôs enfase que "a melhor vacina é o respeito coletivo pelas medidas de prevenção". Até a data em que o PR se dirigiu a nação no ambito das medidas do estado de calamidade pública , o país tinha um registo acumulado de 73.652 casos de Covid-19 e 863 mortes (VoA)

45 visualizações0 comentário