• estaciosvaloi

Pemba como Base Logística reconfirmada após a visita do director da TOTAL




Quase toda a logística necessária à exploração do gás natural liquefeito na Área 1 da Bacia do Rovuma será efectuada a partir da Baía de Pemba, capital da província de Cabo Delgado.


“Claro que o projecto Mozambique LNG está também a analisar todas as opções para optimizar a sua cadeia logística, e depois alguns serviços poderão ser efectuados em Mayotte, como base de apoio, mas os fundamentos da operação estarão aqui em Pemba, Muxara e em Instalações dos CFM / Peschaud ”, confirmou o Presidente de Moçambique na Total, Ronan Bescond.


Segundo Bescond, estão em curso obras de construção de uma base logística em Muxara, um dos distritos de Pemba, ao mesmo tempo que os Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), em parceria com a empresa Peschaud, estão a remodelar o Porto de Pemba.


“Visitamos a base logística em Muxara. Apoiará toda a operação offshore que, de acordo com o plano de desenvolvimento, inclui a perfuração de 18 poços, além das operações offshore a serem desenvolvidas pela Technip FMC, nossa contratada para operações offshore em águas profundas. Estamos agora no porto de Pemba onde CFM e Peschaud vão prestar apoio logístico para carga e descarga de navios e todo o equipamento necessário para todas as operações na Área 1 ”, explicou Bescond, que também é vice-presidente do projecto Mozambique LNG.


Além de confirmar a localização da base logística da Total em Pemba Bay, Bescond reafirmou o compromisso da multinacional em continuar a investir no conteúdo local, uma das grandes preocupações dos empresários da província, especialmente considerando a possibilidade de alguns serviços serem prestados a partir de Mayotte, um arquipélago francês no Oceano Índico localizado a cerca de 500 km da costa de Cabo Delgado.


“Comprometemo-nos perante as autoridades a gastar cerca de 2,5 mil milhões de dólares e a ter cerca de 5.000 moçambicanos empregados nos nossos projectos. E estamos pensando em formar essas pessoas, então estamos construindo um centro de treinamento em Afungi, e estamos nos preparando para construir o centro em Maputo. Isto, para além de utilizar empresas moçambicanas ou registadas em Moçambique. Em parceria com a embaixada, estamos oferecendo 40 bolsas para treinamentos na área. Tudo isso demonstra nosso compromisso com o conteúdo local ”, disse Bescond.


Ronan Bescond recusou-se, na sua visita a Cabo Delgado, a falar sobre a situação de segurança na província, mas prometeu não haver alteração dos planos para o início da produção, previsto para 2024.

“O plano inicial de iniciar a produção em 2024 contínua nos trilhos e estamos trabalhando com o governo para atingir essa meta”, concluiu Bescond. (Moz24)


249 visualizações0 comentário