Ossufo Momade e o DDR "à todas crianças as maiores vitimas dos problemas provocados pelos adultos"


Por Issufo Momade*


Senhor Presidente do Grupo de Contacto

Ilustres Membros da Comissão dos Assuntos Militares

Senhor Chefe do Estado Maior da Forças da RENAMO

Destacados Combatentes

Caros compatriotas

Todo o Protocolo Observado


Mais uma vez abrimos uma nova página na nossa história que esperamos ser o início de um processo genuíno e irreversível que leve o país à paz e reconciliação nacional.

O acto que hoje testemunhamos ocorre em pleno mês da criança. Por isso, à todas crianças do mundo inteiro e do nosso país em particular que infelizmente têm sido as maiores vitimas dos problemas provocados pelos adultos, endereçamos as nossas felicitações e nós os adultos nos empenhemos de modo a criar um futuro mais risonho para elas.

Esperamos que a coincidência desta data com este mês signifique pureza do compromisso que assumimos.

Desejamos às nossas crianças e do mundo inteiro votos de um futuro risonho.

Com a presente cerimónia retomamos o processo de Desmobilização, Desarmamento e Reintegração muito aguardado pelos moçambicanos e pelos combatentes em particular que se encontram serenamente nas várias bases militares.

A esses heróis vivos endereçamos as nossas saudações, o nosso respeito e agradecimentos pela coragem e paciência que têm demonstrado, apesar do sofrimento e outras dificuldades que têm enfrentado.

Manifestamos grande apreço ao Estado-maior General, aos oficiais superiores, subalternos e soldados que mais uma vez demonstraram ao país e ao mundo que sempre lutaram para

uma causa, um Estado de Direito Democrático que deve ter como apanágio eleições livres, justas e transparentes e justiça social.


Minhas senhoras

Meus senhores

Excelências


Este relançamento do DDR está sendo possível como resultado do compromisso colectivo entre o Governo, a Comunidade Internacional e nós próprios. Assim, queremos enaltecer os

esforços do Presidente da República e do Grupo de Contacto que não têm medido esforços para o sucesso deste processo desencadeado no dia 1 de Agosto de 2019, data em que assinámos o Acordo de Cessação das Hostilidades Militares.

O presente acto representa o nosso compromisso inequívoco em manter a paz, estabilidade, harmonia e reconciliação nacional, valores pelos quais o nosso saudoso Presidente Afonso Macacho Marceta Dhlakama sempre lutou.

Outrossim, estamos a cumprir no espírito e na letra a vontade que o impeliu a decretar unilateralmente as tréguas militares no dia 27 de Dezembro de 2016. Esse acto de coragem e heroísmo inspira-nos, por isso voltámos a curvar-nos perante o emblemático Co- mandante-chefe e embondeiro Político Afonso Macacho Marceta Dhlakama

que em vida demonstrou ao país e ao mundo ter o Povo como razão da sua luta.


Minhas Senhoras

Meus Senhores


Quando assumimos a liderança do Partido na cidade da Beira, a nossa Famí-

lia, RENAMO, chorava a ausência física do herói Afonso Dhlakama, por isso tí-

nhamos a dura missão de nos reerguer e prosseguir com as negociações com o

Governo, e assim o fizemos.

Como corolário do processo interno, durante o VI Congresso fomos confia- dos a continuar com a condução do Partido. Aceitámos esse desafio com toda a responsabilidade, certos que teríamos sucesso respeitando o legado deixado pelo nosso Pai, razão pela qual

temos cumprido escrupulosamente os entendimentos por ele alcançados.

Não é em vão que mantivemos as equipes dos Grupos de Trabalho, das Comissões de Monitoria e Fiscalização e assinámos o Acordo de 06 de Agosto de 2019.

Estamos a seguir as pegadas do nosso Grande Mestre. Neste contexto, agradecemos o apoio moral de todos, em particular os compatriotas que nos encorajam a seguir em frente, apesar das vicissitudes que têm caracterizado este processo do DDR.

Convidamos às vozes críticas a percorrermos junto esta caminhada que hoje relançamos, deixando para trás todas as dúvidas que pairavam sobre a transparência e inclusão deste processo. Deste modo, exortamos à todos a abraçar este esforço conjunto que visa restabelecer as nossas vidas e dos combatentes em particular.

Aos compatriotas que se desligaram do comando do nosso Estado-maior General exortamos que façam um exame de consciência, não se excluam deste processo e voltem ao convívio da nossa grande família moçambicana, para igualmente restabelecerem as suas vidas.


Caros compatriotas

Excelências


Faz tempo que os ataques militares que se registam no centro do país são conotados com a RENAMO. Mais uma vez, aqui e agora, distanciámo-nos deles porque não resultam do comando do nosso Estado-maior General, nem sequer constituem a nossa estratégia, por conseguinte tais acções são protagonizadas à título individual e não em nome da RENAMO.

Por outro lado, aproveitamos esta ocasião para convidar os seus autores a parar com as atrocidades sob pena de estarem a marterizar o nosso Povo e a pôr em causa a vontade genuína do nosso saudoso Presidente que queria o restabelecimento da paz e estabilidade

social.

Mais uma vez ainda, relembramos ao país e ao mundo que as nossas Forças

residuais encontram-se em bases bem identificadas, pacientes, organizadas e

sob comando directo do nosso Estado-maior General aguardando por este

processo de Desmobilização, Desarma- mento e Reintegração que esperamos

ser condigno e humanizado.

Um dos compromissos da nossa lide- rança é trazer a paz e a estabilidade social para o nosso país, por conseguinte não faz nosso estilo ter duas faces.


Destacados Membros do Grupo de Contacto.

Excelências


Este importante acontecimento está a criar muita expectativa no seio do nos- so Povo. Assim, é também nossa esperança e nosso desejo que este processo não recue sob pena de defraudarmos os combatentes e a nossa sociedade que clamam continuamente pela tranquilidade e harmonia social.

Como dissemos por ocasião da assinatura do Acordo do dia 06 de Agosto de 2019, com este processo aguardamos uma coabitação política pacífica, o que significa não perseguição desses combatentes sob qualquer pretexto. Neste sentido, convidámos o Senhor Presidente da República a jogar um papel fundamental na eliminação da onda de sequestros e assassinatos que teima em prevalecer no nosso país.

É nosso entendimento que o relançamento do DDR deve simbolizar a vontade genuína de ambas partes em coabitar politicamente, para juntos estabelecermos uma plataforma de diálogo que vise alcançar o desenvolvimento do nosso país que todos nós almejamos.

Este processo do DDR vai decorrer num ambiente muito adverso devido à pandemia da COVI-19, por isso, conscientes dos riscos desta doença augurámos que seja implementado respeitando todas as medidas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde e

pelas autoridades nacionais.

Terminamos fazendo votos de êxitos do processo que hoje retomamos e reiteramos os nossos agradecimentos aos nossos combatentes, ao nosso Povo e a

Comunidade Internacional, em particular que mais uma vez predispôs-se a juntar-se aos moçambicanos na reconquista da paz e da estabilidade social, alicerces fundamentais para desenvolver Moçambique.

Renovamos o nosso compromisso de tudo fazer para o sucesso e inclusão de todo o processo de Desmobilização, Desarmamento e Reintegração.

Muito obrigado por me terem escutado.


*Discurso proferido no relançamento do processo do DDR

77 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI