Ossufo Momade diz que Sofrimento Matequenha foi sequestrado por homens vestidos de uniforme policial


A Renamo considera que o ano de 2020 foi marcado negativamente, pela eclosão da pandemia da Covid-19, guerra no Centro e Norte do país, sequestros de figuras públicas e assassinato de membros da oposição.

As portas da transicao, Ossufo Momade disse que foi com sentimento de bastante revolta e consternação que a Renamo tomou conhecimento do assassinato de Sofrimento Matequenha, antigo delegado político provincial daquele partido e deputado da Assembleia da República.

“Numa altura que aguardávamos pelo esclarecimento deste acto macabro, viemos a saber que o seu corpo foi localizado sem vida, com sinais de tortura, numa mata em Pindanganga, região do interior de Gondola, província de Manica, a cerca de 60 quilômetros do local do seu sequestro”, disse Momade. Segundo Ossufo Momade, com este acto bárbaro, levado a cabo pelos inimigos da paz e da diversidade de pensamento, a Renamo e a República de Moçambique perdem um dos seus melhores filhos. Conforme recorda Momade, “ouvimos, de sua família, que Matequenha foi raptado por agentes da Polícia da República de Moçambique, que o arrastaram à força de sua casa para a viatura da polícia, que arrancou à alta velocidade para um local desconhecido”. Aliás, de acordo com general Ossufo Momade “exigimos desde já que inicie um sério trabalho de investigação policial tendente a esclarecer este crime e punir exemplarmente os responsáveis directos e mandantes destes actos macabros contra moçambicanos, para evitar que continuemos a assistir situações de impunidade, porque num Estado de Direito como o nosso, existem mecanismos legais a serem acionados para desencorajar quaisquer actos ilícitos”. Execuções sumarias são um crime, prossegue Momade que considera que, independentemente da motivação “queremos que a justiça seja feita em prol dos moçambicanos dos membros da oposição desaparecidos”.

Em 2020 não baixaremos a guarda na luta contra corrupção, clientelismo e intolerância política

Por outro lado, fazendo uma antevisão do ano de 2021, Ossufo Momade defende que satisfaz a Renamo, o facto do ano de 2020 ter registado sinais muito significativos no que concerne à Paz.

“Porque até ao presente momento, foram desmobilizados cerca de 1.509 militares, dos quais 142 são mulheres do Destacamento Feminino, num universo de 5.221 combatentes. Da nossa parte, reiteramos o nosso compromisso de continuar a liderar o processo de Desmobilização, Desarmamento e Reintegração (DDR) da Força residual porque estamos n conscientes que o ambiente de paz e o alicerce fundamental para a promoção de desenvolvimento e bem-estar das populações”, prometeu Momade.

A Renamo augura que em 2021, Moçambique tenha paz efetiva, haja paz nacional e nas famílias. “Queremos um Moçambique com valores éticos que nos permitem vencer a corrupção e outros males que enfermam a nossa sociedade”, disse Ossufo Momade para em seguida acrescentar que “o meu partido Renamo não baixará a guarda no combate contra a corrupção, o clientelismo, o nepotismo, a partidarização do Estado, a intolerância política e outros males que minam a harmonia social”. (PpP)


58 visualizações0 comentário

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI