OAM suspende advogado por "conduta indecorosa, censurável, inqualificável e até criminosa"


A Ordem dos Advogados de Moçambique (OAM) acaba de suspender o advogado Elidio de Sousa por tres meses por "conduta indecorosa, censurável, inqualificável e até criminosa"

A Deliberação n.24/PLCJ/2021 do Conselho Jurisdicional da Ordem dos Advogados de Moçambique (OAM) do dia 17 de setembro suspende por três meses o advogado Elísio de Sousa (Carteira Profissional n.° 1078.) por pronunciamentos que considera de inadequados, em relação ao julgamento das dívidas ocultas.

“Estes pronunciamentos consistem em ataques pessoais, alusões deprimentes ou críticas desprimorosas aos colegas Advogados constituídos naquele processo e a outros intervenientes processuais, comportando-se de modo a gerar descrédito da profissão de Advogado e do Sistema de Administração da Justiça”, indica a deliberação.

A Ordem fala de conduta criminosa capaz de comprometer a imagem dos advogados perante o cidadão.

“Esta conduta indecorosa, censurável, inqualificável e até criminosa, é, ainda, susceptível de manchar a confiança que o público tem no Advogado enquanto membro da Ordem dos Advogados, atento ao interesse público por ele realizado. A presente suspensão é fundamentada no justo receio de cometimento de novas infracções no decorrer do processo disciplinar, atento aos comentários diários e até nos dias sem julgamento, em violação dos deveres acima mencionados."

Segundo a Ordem os pronunciamentos tem sido feitos pelo advogado na sua página do Facebook, nas rádio Moçambique e Índico, na TVM e na TV Miramar

125 visualizações0 comentário