Nyusi promete investigar denúncias da Renamo sobre assassinatos e sequestros


Esta informação foi dada a conhecer à margem do encontro entre o Presidente da República e o Líder da RENAMO havida na tarde de quarta-feira (21.10) em Maputo, que tinha como objectivo avaliar o processo do Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR).

A RENAMO tem vindo a queixar-se de perseguições, assassinatos e sequestros dos seus membros um pouco por todo o pais. Sendo esta uma grande preocupação da RENAMO, os dois líderes acordaram em formar uma equipa conjunta para averiguar o caso.

De acordo com uma nota da presidência da República, Filipe Nyusi e Ossufo Momade “renovaram o seu compromisso” de continuar com o processo de DDR, do braço armado do principal partido de oposição com sucesso e dentro dos prazos estabelecidos.

“Foi constatado que 25% do universo de guerrilheiros da RENAMO beneficiários do processo de DDR já foi desmobilizado e reintegrado”, refere-se no documento

Durante o encontro, acrescenta o documento, foi anunciado o encerramento, esta quarta-feira (21.10) de três bases da RENAMO em Sofala, nomeadamente Inhaminga, Cheringoma e Maríngue.

De um total de 5.000 elementos da RENAMO que se espera que entreguem as armas no âmbito do acordo, segundo dados oficiais, quase 1.300 ex-guerrilheiros já foram abrangidos.

No encontro, os interlocutores condenaram igualmente os ataques às populações inocentes no centro do pais.

58 visualizações0 comentário