Nyusi considera combate ao terrorismo necessidade comum da SADC


Filipe Nyusi enfatizou a preocupação com o terrorismo durante o discurso de encerramento da 40.ª Cimeira Ordinária de Chefes de Estado e de Governo da SADC, realizada virtualmente a partir de Maputo. 

Durante a cimeira, ficou realçada "a necessidade de reforçar a coesão e cooperação entre os Estados-membros da comunidade na prevenção e combate ao crime transfronteiriço, com incidência para o terrorismo, nas suas mais variadas formas e manifestações", declarou Nyusi. 

O chefe de Estado moçambicano avançou que a SADC precisa de assegurar a paz para poder alcançar o desenvolvimento social e económico. 

"As discussões em torno dos pontos de agenda [da cimeira] sublinharam igualmente o binômio paz e desenvolvimento", frisou Filipe Nyusi. 

A clareza sobre a ligação intrínseca entre paz e desenvolvimento permite definir estratégias acertadas sobre a melhor forma de atingir o desenvolvimento sustentável que a SADC persegue desde a sua criação há 40 anos, declarou o chefe de Estado moçambicano. 

Filipe Nyusi considerou que as dificuldades no percurso da organização não impediram que a África Austral viva em relativa paz e dentro de valores de democracia e boa governação. 

O acento tónico no tema do terrorismo na cimeira de Maputo acontece numa altura em que a província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, é palco de ataques de grupos armados classificados desde o início do ano pelas autoridades moçambicanas e internacionais como ameaça terrorista. 

Moçambique assumiu a presidência rotativa da SADC, para os próximos 12 meses sucedendo à Tanzânia. 



Fonte: RTP Notícias

26 visualizações0 comentário