Novo lote de vacinas contra a COVID-19 da AstraZeneca chega a Moçambique



Segundo o comunicado de Imprensa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) enviado a nossa redacção são com 108 mil doses de vacinas contra a COVID-19 da AstraZeneca do Mecanismo COVAX e é financiado pela França que chegaram ontem a Moçambique numa fase de explosão da COVID-19.


Dados do Ministério da Saúde (MISAU) ilustram que houve 1139 novos casos de Covid-19 no sábado, 3 de Julho, o maior desde 3 de Fevereiro. E o crescimento em novos casos é exponencial, dobrando a cada semana. Conforme previsto, a terceira onda parece ser pior do que a segunda onda de Janeiro. Houve 28 mortes na semana passada, em comparação com 19 na semana anterior e 10 na semana anterior.


O COVAX, pilar de vacinas do acelerador de acesso a ferramentas contra a COVID-19 (ACT), é co-liderado pela Coligação para Promoção de Inovações em prol da Preparação para Epidemias (CEPI); da Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (GAVI); e da Organização Mundial da Saúde (OMS) – que trabalham em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), como parceiro chave na execução, bem como com organizações da sociedade civil, fabricantes de vacinas, Banco Mundial e outros.


No caso deste lote, o COVAX enviou as informações sobre as 108.000 doses ao Ministério da Saúde de Moçambique, estando todo o processo logístico dessa entrega a ser feito pelo Governo com a assistência da UNICEF.


Mais 384.000 doses da vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca foram anteriormente recebidas pelo Ministério da Saúde, via Mecanismo COVAX, no passado mês de Março de 2021, de um total de 2,064 milhões de doses esperadas receber pelo País.


Desde o início da pandemia, o Sistema das Nações Unidas em Moçambique tem trabalhado com as autoridades nacionais, empresas e a sociedade civil para identificar e atender às necessidades da população na resposta à crise sanitária e a seus efeitos socioeconómicos.


O plano do COVAX é fornecer vacinas para 20% da população de cada país participante ao longo de 2021. Há dois grupos de países e territórios participantes: os autofinanciados, países de média e alta renda, que pagam pelas vacinas; e os de baixa renda que recebem as vacinas sem custo. No caso da África Austral, todos os países da região excepto a República da África do Sul, fazem parte do segundo grupo.


Até que a maioria da população esteja completamente vacinada será fundamental manter todas as medidas preventivas de resposta à pandemia. Para as autoridades de saúde pública, isso significa fazer sistemática e massivamente testes de diagnóstico, rastreamento de contactos, isolamento, quarentena assistida e atendimento de qualidade. Para os indivíduos, significa evitar aglomerações, continuar com o distanciamento físico, higienizar as mãos regularmente com sabão ou álcool gel a 70%, usar máscaras e manter os ambientes bem ventilados. (Moz24h)

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo