"Não temos nada a negociar com a autoproclamada Junta Militar"


Poucos dias depois do Presidente da República ter apelado a RENAMO a participar activamente no diálogo com a junta militar, a Perdiz através do seu porta- voz, José Manteigas reagiu dizendo que aquela organização política não tem nada a falar com a autoproclamada Junta militar. Em seguida, apresentamos na íntegra o discurso lido na conferência de imprensa no passado dia 29 de Outubro em Maputo


Por José Manteigas


Compatriotas

O nosso país está a ser confrontado por várias perturbações sociais como a corrupção, a degradação do tecido social, os raptos, os assassinatos selectivos e a violência armada que se regista na província de Cabo Delgado e no Centro do país. Por consequência, estes males impedem a existência de uma paz efectiva e verdadeira reconciliação nacional base fundamental para o desenvolvimento. A RENAMO e o seu Presidente, Sua Excelência Ossufo Momade por assumirem-se defensores do Estado e do Povo moçambicano têm pautado por acompanhar minuciosamente a situação social, económica e política em salvaguarda dos superiores interesses da Nação moçambicana. É neste sentido que acompanha com muita atenção e preocupação a situação dos raptos, sequestros e assassinatos selectivos de cidadãos civis e indefesos, perpetrados quer nas zonas rurais, quer nas zonas urbanas. A onda de raptos, sequestros e assassinatos selectivos instalou-se como uma actividade criminal normal, porquanto os seus actores têm o desplante de praticar até à luz do dia. Nos últimos tempos, como é do domínio público, os agentes criminais para além dos membros de oposição, também empresários são alvos a quem, para além de infligir violência de várias ordem exigem deles avultadas somas de dinheiro que em muitos casos são transaccionados no sistema bancário, não havendo dúvidas de que trata-se de um crime de colarinho branco. Infelizmente, perante a situação de terror, medo e incerteza no seio dos cidadãos vitimas e sobretudo dos empresários, o governo mostra-se incapaz de neutralizar e responsabilizar os criminosos, o que poe em causa os objectivos fundamentais consagrados no artigo 11 da nossa Constituição. À propósito dos raptos de empresários, Sua Excelência Presidente Ossufo Momade e a RENAMO solidarizam-se e juntam-se à classe dos empresários da Beira e do país inteiro no seu grito contra os raptos e sequestros que têm desestabilizado as suas famílias e a economia nacional.

Apelamos a Polícia da República de Moçambique e outras instituições que têm a missão de prevenir e investigar os crimes a posicionar-se como garantes da ordem e tranquilidade pública, bem como de integridade física dos cidadãos. Queremos uma sociedade segura onde a impunidade não pode prevalecer eternamente.


Compatriotas

Um dos acontecimentos da actualidade moçambicana são as tréguas à Junta militar anunciadas pelo Presidente da República, no dia 24 do corrente mês como mais uma oportunidade de criar ambiente de entendimento. A posição do Presidente da República vem dar corpo aos sucessivos apelos de Sua Excelência Presidente Ossufo Momade e da RENAMO no sentido de chamar à razão aos integrantes da Junta Militar. Por isso, o Presidente Ossufo Momade e o seu Partido, a RENAMO encorajam ao Presidente da República a prosseguir com esta iniciativa que em última análise, acreditamos, visa resgatar a paz e a reconciliação. Como de forma reiterada temos vindo a nos posicionar sobre a paz, o nosso compromisso é firme quanto a este desiderato, razão pela qual, o nosso Pre- sidente, General Ossufo Momade está a dirigir o processo de DDR com toda a responsabilidade e serenidade. Nunca nos eximimos das nossas responsabilidades, por outro lado somos apologistas da democracia quer internamente quer no contexto estadual e o nosso fim último é a defesa do nosso Povo. Algumas vozes que caracterizam-se como porta-vozes da Junta Militar querem empurrar para uma situação que não faz parte da agenda política da RENAMO e do seu Presidente. Somos sim pela paz e reconciliação nacional, por isso, queremos dizer aqui e agora que fora da nossa agenda não temos nada a negociar com a autoproclamada Junta Militar. OGoverno esteve no parlamento nos dias 28 e 29 de Outubro para responder às perguntas das bancadas parlamentares da FRELIMO, RENAMO E MDM que solicitaram informações ao executivo Moçambicano sobre diversas matérias de interesse nacional. A Frelimo solicitou do governo informações sobre as acções em curso no sector agrário, enquanto a RENAMO quis saber de forma detalhada a estratégia interna e política diplomática levada a cabo para resgatar a ordem e tranquilidade, os contornos do pedido de apoio a União Europeia e da contratação de empresas de segurança e mercenários, o respeito pelos direitos BANCADA PARLAMENTAR DA RENAMO


Minhas Senhoras Meus Senhores

O slogan do Ministério da Saúde advoga que “o Nosso Maior Valor é a Vida”. Constitui preocupação para o Presidente Ossufo Momade e o Partido RENAMO os elevados níveis de insatisfação na assistência médica e medicamentosa no Sistema Nacional de Saúde que se caracteriza na falta de fármacos, poucos agentes de saúde, infra-estruturas inapropriadas e melhores condições de trabalho para os profissionais desta ár ea. É mais gritante quando os profissionais da saúde, que têm o dever especial de cuidar da vida e saúde do cidadão não dispõem de condições básicas e necessárias para desempenharem eficazmente as suas funções. Os recentes pronunciamentos públicos da classe médica são um sinal inequívoco de que o nosso Sistema Nacional de Saúde precisa de ser mais acarinhado pelo governo moçambicano no que tange aos financiamentos. Estamos num momento atípico por causa da COVID-19, que está a ceifar milhares de vidas a nível global. Esta é mais uma razão para o Governo amparar mais a classe da Saúde de modo a ter condições materiais e psicológicas para lidar com os pacientes. Exortamos ao Governo para não olhar com desdém as inquietações dos profissionais da saúde, antes pelo contrário deve imediatamente responder positivamente essas inquietações em razão do interesse público. O Presidente Ossufo Momade e o seu Partido solidarizam-se à classe médica e a todos os profissionais da saúde na luta pela melhoria do nosso Sistema Nacional de Saúde. Se “A Vida é o Nosso Maior Valor” é preciso protegê-la devi- damente. Muito obrigado.


31 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI