Moçambique/Malawi: Número de mortos pela tempestade tropical Ana sobe para 12


Malawi


Vinte mil pessoas afectadas em Moçambique MAPUTO — O número de mortos pela tempestade tropical Ana subiu para, pelo menos, 12 em Moçambique e Malawi, disseram as autoridades, embora ainda decorra a avaliação do impacto total da tempestade que atingiu a região, na segunda-feira, 24. Em Moçambique, o Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres disse, na terça-feira, que oito pessoas morreram, 54 ficaram feridas e 895 foram evacuadas nas últimas 24 horas.


Mais de 20 mil pessoas em Moçambique foram afectadas pela tempestade, com mais de três mil casas parcialmente destruídas e mais de 600 totalmente destruídas, além de vários centros de saúde e dezenas de salas de aula, disse aquele instituto, acrescentando que drones e barcos foram mobilizados nos esforços de socorro.


No vizinho Malawi, onde a tempestade provocou cortes de energia, por as inundações terem danificado instalações eléctricas, o comissário distrital de Chikwawa confirmou mais três mortes, depois do departamento de desastres ter reportado, na terça-feira, uma morte, em Mulanje.


Moçambique e outros países da África Austral têm sido repetidamente atingidos por fortes tempestades e ciclones nos últimos anos que destruíram infraestruturas e deslocaram um grande número de pessoas.


Especialistas dizem que as tempestades se tornaram mais fortes à medida que as águas aqueceram devido às mudanças climáticas, enquanto o aumento do nível do mar tornou vulneráveis as áreas costeiras baixas.

Naemi Heita, chefe interina da delegação da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, disse à Reuters que água potável, redes mosquiteiras e máscaras são alguns dos itens imediatamente necessários para prevenir surtos de doenças.


"Além da resposta de emergência, precisamos de garantir que apoiamos essas famílias para reconstruir os seus meios de subsistência – os seus campos estão submersos e suas casas destruídas,” acrescentou Heita. (VOA)

30 visualizações0 comentário