Moçambique acolhe projeto para plantar mangais como créditos de carbono

O Ministério do Mar de Moçambique assinou hoje uma parceria com uma empresa dos Emirados Árabes Unidos, a Blue Forest, que pretende plantar mangais que sirvam como créditos de carbono, anunciaram em comunicado.



Os promotores preveem que o projeto dure 30 anos e gere créditos equivalentes a "aproximadamente 200.000 toneladas de emissões de CO2 por ano".

As receitas pela venda das compensações de carbono "serão partilhadas entre as partes interessadas locais e nacionais, de acordo com as diretrizes do Fundo Nacional para o Desenvolvimento Sustentável (FNDS)", acrescentaram.


A reflorestação está prevista para 185.000 hectares das províncias de Sofala e Zambézia, no centro do país, e será gerida e verificada através de imagens de satélite e processamento informático.


"Estamos encantados com a nossa parceria com a Blue Forest e com a introdução de tecnologia inovadora na forma como mapeamos e restauramos as nossas florestas de mangais, vitais para as gerações vindouras", referiu Xavier Munjovo, secretário permanente do Ministério do Mar.


Vahid Fotuhi, fundador e presidente executivo da Blue Forest considerou Moçambique como um país "estratégico quando se trata de florestas de mangais".

"Dezenas de milhares de pessoas e vida marinha sem fim beneficiarão deste projeto, não podíamos estar mais felizes", concluiu. (NM)

0 visualização0 comentário