Minyetani Khosa estreia˗se com Karinganas do Indico


‟O bicho de contar as peripécias do nosso quotidiano, são o fruto da minha obsessão

em devorar as‟ lendas” da prosa da literatura lusófona, onde cintilam nomes sonantes

desde o Jorge Amado, Eça de Queirós,Saramago,Albino Magaia, Orlando Mendes, a

nossa Matriarca Chiziane entre outros. Ao mesmo tempo que devorava os seus escritos,

sentia ˗ me acorrentado a ponto de viver obcecado em dar continuidade ao seu

legado.”

As Karinganas do Indico do escritor moçambicano fazem ˗ nos voltar à oralidade, na

qual se sentava sobre o chão em esteiras, em rodas e diante de uma fogueira, no cair da

noite, e contavam ˗ se estórias e histórias, desde as mais medonhas às mais suaves e de

arrancar gargalhadas. E pode ˗ se encontrar isso grafado ao longo das páginas do

livro, onde a denúncia, o olhar clinico, conselhos, as situações quotidianas aparecem

escritas num olhar que quer captar a alma do país, ler a si e acima de tudo, posicionar

˗ se perante os tempos em que vivemos como sujeito de acção.

‟ Karinganas do Indico ” são o reflexo das peripécias do quotidiano do povo

moçambicano. São o sabor agridoce deste presente envenenado chamado

independência, o qual se escreveu nos anais de história a partir de 25 de Junho de

1975.As karinganas retratam um povo refém do tão ansiado porém abortado futuro

melhor. Estão prenhes de amargas deliciam deste resiliente povo. São a voz do povo

que traz à tona as epopeias desta nossa mãe pérola, que da sua azul varanda escancara

os seus atributos para as arábias e os gulosos olhos do universo. Enobrecem a

diversidade na unicidade deste povo diferente, porém igual. O pensamento e a

imaginação fazem, rebuscam fotos a preto e branco deste povo heróico que de pedra a

pedra ergue essa nação que se quer próspera. Pese embora inaudível a voz do povo

ecoa na esperança de ventos melhores, órfãos de intrigas, injustiças, guerras e ódio,

onde todos, independentemente da cor, religião e sexo possam ser olhados, ouvidos e

tratados com empatia.”

O livro de 80 páginas sairá por via electrónica (e˗book) e no formato físico através das

redes sociais da Editora Kulera e do autor.

‟ O que se afigura mais importante, nesta minha primeira aparição, é agradar gregos e

troianos, isto é todos terão acesso ao livro, nas duas modalidades. Os modernos terão o

virtual e conservadores no formato físico. Só assim mais pessoas terão acesso ao livro.

Este é o meu humilde contributo no exercício da cidadania, imortalizando meus

sentimentos e pensamentos. ”

Além de escritor, Minyetani Khosa é Professor das línguas Portuguesa e Inglesa.

Minyetani Khosa nasceu na cidade das acácias em 1978,estreia ˗ se na Feira de Livro

de Maputo como escritor com a obra Karinganas do Indico, uma colectânea de contos.

O autor serviu ˗ se da narrativa e de micro ˗ contos para expressar a sua arte de olhar

o mundo e o contexto em que vive. Seus textos têm grande influência da realidade

sociopolítica de sua gente e suas linguagens.

Licenciado em Ensino da Língua Inglesa com Habilitação em Ensino da Língua

Portuguesa pela FCLCA da Universidade Pedagógica ˗ Maputo. É Professor em

exercício no distrito de Marracuene. Escreve desde a tenra idade, muito por culpa do

seu finado pai.

53 visualizações0 comentário