Ministra Macamo apela à sensibilização da Lei de Prenvenção e Combate às Uniões Prematuras


A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Nataniel Macamo Dlhovo,

considerou indispensável continuar com esforços de sensibilização e de mobilização para o

cumprimento da Lei de Prevenção e Combate às Uniões Prematuras, por forma a lograr a

consolidação das conquistas e a continuar a materializar com sucesso a agenda pública.

Ao proferir o seu discurso de abertura na reunião em vídeo-conferência sobre a prevenção e o combate às uniões prematuras, que teve lugar na manhã de quinta-feira, dia 28 de Julho corrente, a governante moçambicana considerou que a aprovação dessa lei, cujo objectivo é prevenir este grande mal, é encarada como uma das maiores conquistas na luta pela promoção dos direitos da criança e da rapariga em Moçambique.

No entanto, realçou que “apesar deste progresso encorajador, não desarmaremos enquanto

persistirem algumas manifestações de práticas de uniões prematuras”, visto que, segundo

revelou, afectam 48% das raparigas no nosso país, ou seja, quase uma em cada duas raparigas são forçadas a ter uma vida marital precocemente.

Para a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, há uma necessidade de se redobrar os nossos esforços nas províncias de Nampula, Cabo Delgado, Niassa e Manica, por ser nestes espaços geográficos do país, onde a práctica aparenta ser mais comum.

O encontro virtual, que assinala a passagem dos dois anos após da adopção da Lei de Prevenção e Combate às Uniões Prematuras, organizada pela Fundação para Desenvolvimento da Comunidade (FDC), contou com a presença da Presidente da FDC, Graça Machel, representantes do Governo de Moçambique, da União Africana e das organizações da sociedade civil.

19 visualizações0 comentário