Mais de 6 mil crimes de guerra. Armas químicas em Mariupol?


© Getty Images


Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) acordaram, na segunda-feira, dar assistência financeira e disponibilizar peritos para ajudarem o Tribunal Penal Internacional (TPI) e a Ucrânia a documentar possíveis crimes de guerra cometidos pelas tropas russas naquele país. O presidente da Ucrânia afirmou estar "confiante" de que o país será capaz de se reconstruir rapidamente depois dos danos significativos que tem sofrido durante a invasão russa.

Ao fim de 48 dias de guerra, já morreram mais de 10 mil civis na cidade de Mariupol, garantiu o autarca. Na segunda-feira, cerca de 4.354 pessoas foram retiradas de várias cidades da Ucrânia, através de corredores humanitários.

Os relatos sobre a alegada utilização de armas químicas em Mariupol pelo exército russo estão a preocupar a comunidade internacional. O governo do Reino Unido já anunciou que está a trabalhar com os seus parceiros para tentar "verificar os detalhes" desse ataque e também o porta-voz do Pentágono, John Kirby, divulgou uma declaração sobre o alegado ataque frisando que ainda não lhes foi possível verificar a veracidade da informação, mas garantindo que estão a "monitorizar a situação". (NM)

15 visualizações0 comentário