• estaciosvaloi

M-Pesa: primeira ‘fintech’ africana no combate ao comércio ilegal da vida selvagem



Segundo comunicado de imprensa eniviado a nossa redacção pela Vodacom Moçambique o M-pesa tornou-se o primeiro provedor monetário móvel em África a juntar-se à força-tarefa de caridade estabelecida pela United for Wildlife, que trabalha no combate ao comércio ilegal da vida selvagem.


A força-tarefa financeira da United for Wildlife foi criada em 2018, por meio de uma declaração assinada na Mansion House, em Londres. De lá para cá, já existem 42 signatários da declaração, sendo que o Sistema de Partilha de Informações da força-tarefa da United for Wildlife sustenta grande parte da sua acção.


O M-pesa junta-se a vários bancos internacionais, dentre os quais o Standard Bank, o Barclays, o Grupo Banco Santander, a Cidade de Londres, o Banco Alemão, o Banco HSBC e o JP Morgan Chase que, ao abrigo da declaração, canalizam recursos e inteligência financeira para apoiar os esforços legais de perseguir os maiores beneficiários do comércio ilegal.


A entrada do M-pesa nesta corrente é justamente pelo facto de se ter tornado o provedor de serviços financeiros mais popular em África e a plataforma líder em tecnologia financeira. Neste momento, é usado por 41.5 milhões de pessoas, em sete países africanos, incluindo Moçambique, com 12.2 mil milhões de transacções por ano.


A plataforma também permite que pessoas físicas e jurídicas paguem contas, criem contas de poupança e empréstimos, acedam ao cheque especial, a serviços comerciais e de saúde.


Sitoyo Lopokoyit, CEO da M-Pesa África, disse: “O meio ambiente continua a ser um recurso comum compartilhado e crítico e está sob a ameaça do comércio ilegal de vida selvagem. O futuro da nossa economia, famílias e crianças depende da protecção da nossa vida selvagem e dos nossos ecossistemas naturais”.


O crime organizado tornou-se uma das maiores ameaças aos animais em África e noutros continentes. O comércio ilegal de vida selvagem é avaliado entre USD 50-150 biliões, por ano, e é um dos cinco crimes globais mais lucrativos. Há um consenso de que o sistema financeiro global é um meio crucial para a transferência de recursos ilícitos, por isso, há necessidade de se aliar a plataformas financeiras, daí a força-tarefa.


Lord William Hague, Presidente do Conselho de Administração da United for Wildlife, referiu que “O comércio ilegal de animais selvagens é uma crise global e as instituições financeiras têm um papel crucial na luta contra isso. A United for Wildlife dá as boas-vindas ao M-Pesa, para fortalecer ainda mais os vínculos entre as instituições financeiras e a aplicação da lei, a fim de combater o tráfico de produtos ilegais da vida selvagem”. (Moz24h)

28 visualizações0 comentário