Jornalistas moçambicanos querem cobrir insurgência em Cabo Delegado


O Instituto de Comunicação Social da África Austral,  MISA Moçambique,  exige que os jornalistas tenham a possibilidade de fazer a cobertura da situação de violência armada em Cabo Delgado com segurança, numa altura em que continua desaparecido Ibraimo Mbaruco, da Rádio Comunitária de Palma.

Segundo o Presidente do MISA Moçambique, Fernando Gonçalves, a situação na província de Cabo Delgado, que há quase três anos vem sendo alvo de ataques armados, “é bastante delicada para os jornalistas”.

Gonçalves avançou que os jornalistas não devem ser impedidos de exercer o seu ofício, realçando que a questão de Cabo Delgado “está dentro de toda a nossa abordagem sobre a cobertura jornalística da situação da violência” naquela província.

“Tem que haver uma luta colectiva para que seja possível que todos os jornalistas façam a cobertura dos acontecimentos em Cabo Delgado num ambiente de segurança” afirmou Gonçalves.

O MISA Moçambique exige também das autoridades nacionais a intensificação de acções visando a restituição da liberdade do jornalista da Rádio Comunitária da Palma, Ibraimo Mbaruco, que se encontra desaparecido desde o dia 7 de Abril deste ano.

De acordo com aquele instituto de monitoria da liberdade de imprensa na zona austral de África, Mbaruco teria sido levado por elementos das forças de defesa e segurança em Palma. Mas a polícia demarcou-se do incidente.

63 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI