Jornadas de Limpeza - praia do Wimbe



Saltei do carro que ia trepidando em buracos sem fim pela marginal ou marginal na zona do Wimbe, avenida prostituida pelo município sem direito no mínimo um preservativo no meio de tantos buracos apesar de milhares de dólares já gastos para empreitada, pela curva lá esta a praia do Wimbe menstruada sempre que o mar cospe o lixo em toneladas provocado pelo homem. No assobiar matinal das arvores, o mar continuava a trovejar intrinsicamente, na superfície ribombavam ondas que acabavam sempre rocando a areia conspirando com o sol e a lua, o vento delegado a coordenar a limpeza, lixo cuspido pelo mar para a terra.


Naquela manha foi o contrario, a nossa reportagem encontrou Claife Jeremias docente UCM em mais uma jornada de limpeza da praia segundo o qual as jornadas de limpeza começaram em fevereiro do ano passado na época chuvosa depois de uma grande enchente de lixo na praia em parceria com a Plataforma Makobo com o apoio do empresariado local pincipalmente na disponibilização das máquinas tendo em conta as limitações do município em atender a demanda a limpeza na praia é feita todos os dias de segunda a sábado e, nos sábados intensificamos com a presença de estudantes e voluntários da sociedade civil.


“Desde lá não paramos. Não posso estima a quantidade de lixo que já recolhemos, mas posso falar de volumes que são pelo menos cerca de 120 toneladas de lixo guardados, plásticos porque depois vamos reciclar esse lixo. De momento estamos a colectar o plástico aqui na praia e em alguns pontos da cidade, a posterior fazer a seleção, separação com os estudantes e docentes da UCM E UNILURIO e estamos neste momento a preparar a fase para reciclagem.



Primeiro é uma questão de sensibilidade, referir que estas atividades são feitas pela UCM em parceria com a MAKOBO e a UniLúrio, e voluntários da sociedade civil vimos que era necessário contribuir para a limpeza da nossa praia e não só , era um projeto de gestão de resíduos sólidos a nível da cidade . Entăo iniciamos com a praia porque sabemos que grande parte do lixo que ‘e produzido na zona costeira , depois com a chuva é arrastado para a praia e a praia tem um havido muito bom , que depois expulse o lixo de volta para o lado continental e nos passamos a recolher somente plásticos recicláveis e e isso que nós procuramos usar.

As algas, fibras e outro tipo de lixo nos encaminhamos a lixeira do município.”


Reciclagem e gestão de resíduos

Segundo Claife Jeremias, era preciso coordenar as varias atividades assim como a necessidade de criar outras plataformascriou-se Eco Pemba, uma iniciativa da plataforma MAKOBO em parceria com a UCM e UNILURIO que tinha como objetivo, Colecta de plásticos nos pontos de recolha a nível da cidade, identificação de Empresas que comprem os plásticos, Processamento/trituração do plástico, Debates/auscultação dos actores para melhor planificação, Apresentação do plano de gestão de residios sólidos para o Município

“Realizamos uma webnair no inicio do ano passado onde tivemos como panelistas, representantes de Empresas nacionais, ONGs, Município e Governo ligados ao sector do meio ambiente e neste momento estamos a finalizar o plano de gestão de resíduos sólidos para apresentar ao Município e a também a criar condições para a reciclagem destes plásticos. “



Parcerias privadas

Para a operacionalização eficaz da limpeza em épocas chuvosas as organizações envolvidas contam com o apoio de empresários de cabo Delgado que disponibilizam maquinaria, camiões. “ Conseguimos evacuar grandes quantidades de lixo que estava aqui a partir de maquinas, camiões disponibilizados pelo empresariado o que foi uma mais valia para nos porque podemos acelerar o processo da recolha do lixo.” Disse Jeremias


Responsabilidade municipal e orçamento que existe

Conseguimos sentir grande responsabilidade do município que felizmente todos os dias eles estão aqui connosco , tem o pessoal deles a ajudar e nos sábados intensificamos, tem aqui as senhoras do município a fazer limpeza , infelizmente não podemos garantir que existem grandes valores monetários no município para fazer estas atividades porque eles dependem destas parcerias que nos temos tido ,reconhecemos as dificuldades do município desde meios de transporte ,maquinas para a recolha do lixo .E neste âmbito que nos temos dado a mão ao município de forma a ajudar –o a estancar este problema .”


Zura Carlos foi umas das voluntarias da plataforma Makobo que decidiu-se juntar-se ao grupo de estudantes e voluntários na limpeza de forma a “preservar o mar”. “Estamos aqui a limpar a praia de forma a mantê-la limpa, e sinto me bem fazer este trabalho e os outros também deviam fazer, preservar a mar que sujo com todo este lixo.”


Para Apolônia Baltazar Constantino da UCM ir a praia fazer limpeza e “ reduzir os resíduos sólidos aqui na praia , diminuir este todo lixo que esta aqui.”

Mas pela praia em mais uma jornada de limpeza estava a associação de Jornalistas ambientais de Cabo Delgado.


Gerson Basílio coordenador da associação de jornalistas ambientais de cabo delgado, uma agremiação que existe desde o ano passado em Setembro outubro actualmente com 15 membros, segundo Basilio a mesma tem exercido varias atividades.


“ Aproveitamos este sábado para nos juntarmos com as outras associações de boa vontade . Fazemos assim , não temos ainda apoio nenhum ,fazemos com as nossos próprias pequenas contribuições mas isso não nos preocupa tanto, nos como ambientalistas ,preocupados com o meio ambiente vamos tentando ir para, ali , já fizemos cartas para o governo da província assim como para o secretario do estado para apresentar a nossa associação, estamos avançados em termos de negociação. Nas nossas atividades também consciencializamos as comunidades .


O governo esta a fazer a sua parte só que agora o problema ‘e nosso, aquele lixo vem das nossas casas e vai para o mar , temos que consciencializar as pessoas ,comunidades . a questão do plástico, no mínimo numa casa usarmos um plástico por semana . Pemba com mais de 4 mil pessoas então imagina cada pessoa a usar um plástico por dia .Então esse problema ‘e nosso , temos que mudar a consciência . Aqui onde agora estamos parados antes estava sujo, agora esta limpo mas alguém vai passar com uma garrafa de agua e vai deixar aqui vazia.’ (Moz24h)



52 visualizações0 comentário