Insurgência não ameaça exploração de gás em Cabo Delgado, garante Nyusi ao chefe do Banco Mundial


O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, manteve esta segunda-feira, 10, uma reunião virtual de trabalho com o Presidente do Grupo Banco Mundial, David Malpass, no quadro da excelente cooperação e parceria.

A reunião virtual tinha como objectivo avaliar os programas de desenvolvimento apoiados pelo Grupo Banco Mundial e perspectivar acções futuras para impulsionar a sua parceria estratégica, em prol do desenvolvimento sustentável de Moçambique, sobretudo nas áreas de Infraestruturas rodoviárias, Reconstrução pós-Idai e Kenneth, Agricultura, Energia e a Resposta à Covid -19. Durante a reunião, o Presidente da República e o Presidente do Grupo Banco Mundial reafirmaram o seu empenho na promoção da parceria e cooperação, sobretudo em áreas como impulsionamento do crescimento económico, aumento da produtividade e geração de emprego, desenvolvimento do capital humano e reforço da sustentabilidade fiscal. Na ocasião, houve pronunciamentos favoráveis em relação ao apoio à agricultura, sobretudo aos pequenos agricultores e empresários deste sector para o aumento da produtividade, renda e geração de mais empregos. Congratularam-se pelo programa “Sustenta”, que passa a ser implementado em todo o país. O Banco Mundial referiu estarem disponíveis 500 milhões de dólares norte-americanos para apoiar a este sector. Por outro lado, o Banco Mundial mostrou-se receptivo em continuar a apoiar e financiar os projectos de infraestruturas rodoviárias e a disponibilizar recursos para o financiamento de projectos na área de energia e electricidade, com realce para o projecto de Temane e o da Área 4 da Bacia do Rovuma. Os dois dirigentes saudaram a postura de transparência da ENH que se traduz na publicação das suas contas e sobre as suas operações, encorajando que se continue a fazer reformas em outras empresas públicas, melhorando o ambiente de transparência de modo a atrair cada vez mais recursos para o país, incluindo o investimento directo estrangeiro. O Banco Mundial mostrou-se aberto a identificar intervenções concretas em apoio ao programa de reabilitação da Estrada Nacional Número 1 e outras infraestruturas vitais. O Banco Mundial Assegurou que continuará a prestar seu apoio e financiamento ao sector privado em áreas prioritárias como agricultura, energia e infraestruturas e na melhoria do ambiente de negócios Relativamente à situação de segurança em Cabo Delgado, depois de partilhar informação sobre o impacto dos ataques terroristas e a resposta do Governo, o Banco encorajou e mostrou-se favorável a apoiar na promoção da reconstrução de infraestruturas e de actividades de desenvolvimento económico, criação de emprego para os jovens, sendo que deverão ser identificados projectos concretos. Felicitou ao Governo pelas medidas que tem tomado para fazer face a este desafio. Quanto à resposta à Covid-19, os dois dirigentes congratulam-se pelas medidas de prevenção e contenção da propagação desta pandemia e pelo apoio do Banco Mundial através do desembolso de recursos para o apoio directo ao orçamento. O Banco Mundial comprometeu-se a continuar a apoiar os esforços do Governo Moçambicano neste sentido. Por último os dois dirigentes reafirmaram o seu empenho em aprofundar a sua parceria, remetendo aos membros da equipa do Banco a prosseguir a interação com o Governo de Moçambique para intervir em áreas e programas concretos, sobretudo através da Directora Residente do Banco Mundial em Moçambique.   Durante a reunião virtual, o Chefe do Estado moçambicano fez-se acompanhar pelo Ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, e pelo Ministro das Obras Púbicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine. Por sua o Presidente do Banco Mundial fez-se acompanhar pelo Vice-Presidente do Banco Mundial para a África Austral e Oriental, Vice-Presidente pelo IFC para o Médio Oriente e Região Africana, Vice-Presidente pelo MIGA e Chefe de Operações, bem como pela Directora do Banco Mundial para Moçambique.

126 visualizações0 comentário