Guebuza acredita que “a história absolverá” Robert Mugabe


Em mensagem publicada na sua conta na rede social Facebook, o antigo presidente moçambicano, Armando Guebuza, escreve: “Hoje morreu um combatente que nos deixa a missão de perceber o quanto custa a Liberdade, com dignidade.” Robert Mugabe morreu na passada sexta-feira aos 95 anos. A curta mensagem de Guebuza termina com o seguinte parágrafo.:“Descanse em paz camarada que a “história o absolverá”.

Não deixa de ser interessante debater se a história há-de ou não absolver Robert Mugabe.

O antigo estadista zimbabweano teve um irreprensível percurso de lutador pela independência do seu país mas, como governante a sua liderança teve nódoas que mancharam a sua história política. Mas claro Mugabe foi sempre uma aliado do partido Frelimo, partido que Armando Guebuza liderou. Aliás, Robert Mugabe esteve exilado em Moçambique de onde liderou a luta armada pela independência do seu Zimbabwe. Foi um líder nacionalista que chegou ser muito respeitado pelo mundo fora. Mas já como líder do Zimbabwe independente, Robert Mugabe deixou também marcas que serão sempre lembradas pela negativa. Por exemplo, o massacre de Matabeleland onde terão sido massacradas cerca de 20 mil pessoas da etnia Ndebele pela famosa Quinta Coluna, formada por militares treinados pela Coreia do Norte. Robert Mugabe era da etnia shona e a província de Matabeland era grosso modo mais apoiante de Joshua Nkomo, outra figura do nacionalimo zimbabweano.

Outra mancha negra no percurso de Mugabe, foi a Reforma Agrária que culminou com a expropriação de farmas, propriedades de farmeiros brancos. Este processo acabou desembocando em violência que resultou na morte de farmeiros e também de trabalhadores das farmas. Mas a grande consequência do referido processo foi o colapso da economia zimbabweana. O país que tinha sido conhecido como o celeiro da África Austral viu-se de rastos e como níveis de inflação altíssimos. Muitos zimbabweanos tiveram que emigrar por falta de emprego e também de produtos básicso. Na altura, ficaram famosas as mulheres zimbaweanas que se prostituiam em algumas cidades moçambicanos cobrando preços a baixo dos normais. Até aos dias que correm a economia do Zimbabwe continua longe dos tempos áureos.

Em 2017 Robert Mugabe foi forçado a abandonar o poder pelos militares. Absolvido ou não pela história, Robert Mugabe vai a enterrar nos próximos dias em local reservado a heróis nacionais. (Redacção)

70 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI