"Governos devem focar-se no fundamental, quebrar cadeias de transmissão"- OMS


O director-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, reconhece que "há fatiga", mas lembra que "o vírus mostrou que se relaxarmos pode voltar a velocidades alucinantes e ameaçar hospitais e sistemas de saúde".

O director-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) falou, esta segunda-feira, sobre o aumento de casos no hemisfério norte do globo, "particularmente a Europa e a América do Norte", e apelou à intervenção dos governos locais, que devem focar-se na aplicação de medidas adaptadas e direccionadas às suas comunidades, para que se possa desacelerar a propagação do novo coronavírus e, por conseguinte, proteger os sistemas nacionais de saúde. "À medida que os casos aumentam, aumenta o número de pessoas em camas de hospital e aumenta também o número de pessoas em cuidados intensivos", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, em conferência de imprensa, a partir de Genebra. Ainda que ressalvando que os profissionais de saúde estão melhor preparados do que há uns meses, sublinhou que "quando o limite dos hospitais é excedido, é muito difícil e perigoso tanto para paciente como para profissionais de saúde". "Portanto, é importante que todos os governos se foquem no fundamental, naquilo que ajuda a quebrar as cadeias de transmissão e salva tanto vidas como empregos", acrescentou o especialista em saúde pública. Tedros Ghebreyesus enumerou a "identificação de casos, a investigação de focos, o isolamento de casos, a colocação de contactos em quarentena, a manutenção de bons cuidados médicos, a protecção e apoio dos profissionais de saúde e a protecção dos mais vulneráveis". "Estamos nisto a longo prazo, mas há esperança de que, se fizermos escolhas inteligentes juntos, podemos manter os novos casos controlados, assegurar que os serviços de saúde essenciais se mantêm e que as crianças continuam a ir à escola", disse. "Eu sei que há fatiga, mas o vírus mostrou que se relaxarmos pode voltar a velocidades alucinantes e ameaçar hospitais e sistemas de saúde". Michael Ryan, director do programa de emergências em saúde da OMS, e Maria Van Kerkhove, responsável da luta contara a epidemia, insistiram também na necessidade do isolamento das pessoas infectadas com a doença bem como os seus contactos, forma de quebrar as cadeias de transmissão. (RM /NMinuto)


7 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI