Governo pretende reduzir importações de combustíveis


O Governo de Moçambique, afirma que o país poderá reduzir a importação de combustíveis com a massificação do uso de gás natural em viaturas.

Para o efeito, a multinacional sul-africana SASOL desembolsou cinco milhões de dólares para o financiar a instalação de postos de venda de acessórios e de abastecimento ao nível do país das viaturas movidas a gás. O fundo de desenvolvimento da massificação do gás natural foi lançado esta sexta-feira na cidade de Inhambane e o ministro de energia e recursos minerais, Carlos Zacarias, diz acreditar na redução de custos na importação de combustíveis nos próximos tempos. O Governo de Inhambane, Daniel Chapo, apelou os empresários nacionais a aproveitarem a oportunidade para reduzir os custos nos transportes. O Director-geral da Sasol em Moçambique, Olvido Rodolfo, disse que a empresa está pronta para continuar a desenvolver iniciativas que visam dinamizar a economia do país. O Presidente da Comissão Executiva do Banco Nacional de Investimentos, implementador do projecto, Tomas Matola, disse que a instituição tudo fará para garantir a transparência na gestão de fundos. Por seu turno, o Presidente do Conselho Empresarial de Inhambane, Abdul Razaque, diz que a classe está pronta para abraçar o desafio. (RM)

50 visualizações0 comentário