Gato por lebre 2














Por Estacio Valoi


Menos de um mês depois da inauguração da estrada quilómetros nacional numero treze (EN13) Lichinga- Massangulo/Muita a 23 de Dezembro de 2019 pelo Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi numa extensão de 178 que custou 63 milhões de dólares norte-americanos, a mesma já se encontra degradada.

Uma rodovia, segundo indicações do presidente aquando da sua inauguração, vai manter a ligação em 181 quilómetros entre os distritos de Mandimba e Lichinga na zona do distrito de Muita de projecto que ainda devem ser conclusos 177 Quilómetros de asfaltagem entre as províncias de Nampula e Niassa ate 2021.

Na altura, segundo fontes, a prioridade circunscrevia-se na inauguração da estrada pelo Presidente da Republica no trajecto que vai de Mandimba ate a fronteira com o Malawi. Contudo, o lote de asfalto inaugurado foi o de Lichinga – Massangulo.

São cerca de 500m de extensão no Km35 no trajecto que vai Mandimba a Massangulo, já degradada sob batuta da Agencia Nacional de Estradas (ANE) a apenas interessava inaugurar o primeiro lote isto porque no segundo faltava a destruição e construção de uma nova ponte, aterro e acesso ao pavimento. ‘ Foi tudo improvisado para a visita de Nyusi.

Lembrar que durante a sua passagem de Nyusi pela vila-sede de Ngaúma (Massangulo) o chefe de Estado Moçambicano não só comprometeu – se em construir a estrada que liga Nampula a Niassa mas também a linha férrea.

E, Nyusi fez o ‘ drive test’ em pompa e circunstancia e no fim vangloriava-se por ter inaugura uma estrada, ao que disse na ocasião. “Hoje, inaugurei a estrada Lichinga-Massangulo- Muíta. Uma infra-estrutura vital para o desenvolvimento da Província de Niassa e que vai oferecer maior conforto aos automobilistas, melhoria no transporte de pessoas e bens. Foi com muito orgulho e satisfação que, no volante, e por alguns quilómetros senti a satisfação dos milhares de concidadãos desta província. Parabéns Niassa, parabéns Moçambique. Vamos trabalhar meus compatriotas!” Enfatizou o Presidente.

Moz24h que em 2018 fez um périplo de Cumba a Lichinga e mais tarde depois da inauguração soube de utentes daquela rodovia que projecto da sua construção adjudicado a empresa de construção China communication construction company (CCCC) era ‘uma vergonha “uma vergonha. Estrada tem ondulações.”

Desde a sinalização praticamente inexistente, valas de drenagem tortas que ao em vez de terminarem no rio, pelo contrário, terminavam nos bairros assim como a 'água drenada pelas tais valas acabava aglomerada na estrada, quintais. “Um fiasco’ e milhões de dólares se comparada as condições em que a estrada esta, sua construção precária.

Um projecto composto por três lotes, o primeiro de 85km ligando Lichanga/ Massangulo, o segundo de 87Km – Massangulo-Muita e o terceiro apenas com ainda 3km de estrada construídos que liga Muita a Cuamba.

“Dentro da Vila municipal de Mandimba os bairros periféricos estão em alerta máxima pois com as primeiras chuvas as casas sofreram devido às valas de drenagem que não vão desaguar nos rios mais sim em alguns bairros tais como Tondooco.”. Disse a fonte.

Sem pompa, nem circunstanciam mas porque ‘e a sua época, foi a vez da chuva fazer o seu ‘ drive test’ pondo a descoberto os vários problemas já anunciados. “ Uma bomba relógio para o povo’ segundo residentes de Mandimba.

Relativamente a construção de infra-estrutura das que ficaram como promessa, foi a morgue de Mandimba a qual ate com manchetes em jornais diz – se ter sido concluída. Facto, o Moz24h constatou que a conclusão desta ainda esta por vir!

0 visualização

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI