FNB quer financiar participação de empresas moçambicanas nos mega-projectos


Depois de assinar, sexta-feira última, o contrato de participação no financiamento da Total, num valor de 15.8 mil milhões de dólares, o FNB mostra interesse em ser um parceiro forte no negócio do gás natural de Moçambique.

Para isso FNB assegura que, como parte do FirstRand Group, o maior grupo financeiro africano por capitalização bolsista, pretende entrar noutros grandes projectos do Gas natural em Moçambique, da mesma forma que entrou no financiamento da Total, num consórcio de 20 instituições bancárias que concederam 15.8 mil milhões de dólares, cujos últimos contratos foram assinados na última sexta-feira. Bem como ser um parceiro forte de toda a cadeia de valor destes projectos.

“Esta nossa participação coloca-nos num ponto interessante rumo aquilo que achamos ser o futuro de Moçambique, em termos de negócio e força motriz do desenvolvimento, além, claro, da agricultura, que continua a ser a maior base de desenvolvimento de Moçambique”, disse Higino Mutemba, lider do sector de recursos do FNB Moçambique, comentando sobre aquilo que está nos planos do grupo.

Tendo em conta que há uma corrida desenfreada de instituições para a participação nestes mega-projectos, o FNB tem uma equipa dedicada especializada neste sector a fazer o acompanhamento e mapeamento das possíveis oportunidades disponibilizadas pelas empresas de exploração de gás, bem como pelo Governo e na construção de propostas de valor diferenciadas e de valor acrescentado para toda as empresas que operam nesta cadeia de valor.

Aliás, o Ministro dos Recursos Minerais e Energia, Max Tonela, disse na sexa-feira que o Governo pretende assegurar a participação de empresas moçambicanas e, para tal, está a discutir com o consórcio melhores mecanismos de divulgação de oportunidades, além do acesso ao financiamento. E é no financiamento que o banco quer participar.

“O Grupo First Rand tem estado a virar as suas atenções também para o negócio de gás não só em Moçambique. Em vários outros países onde nós estamos e há exploração de hidrocarbonetos, fazemos de tudo para financiar a participação de empresas locais nestes mega-projectos e em Moçambique queremos ser mais fortes ainda nesta vertente”, explicou Wimpie Snyman, director de Banco Corporativa e de Investimentos do FNB do FNB Moçambique. (Moz24h)

O suporte ao desenvolvimento do gás em Moçambique e o impacto potencialmente transformador no país e na região continuam a ser de extrema importância tanto para o FNB Moçambique, para o Rand Merchant Bank como para o Grupo FirstRand.

“Para além de constituírem uma fonte segura de abastecimento de energia na região, estes projectos conferem igualmente um impulso à economia e proporcionam oportunidades de emprego. O RMB, em parceria com a FNB Moçambique, manifesta o seu orgulho em desempenhar um papel neste tipo de projectos”, comentou Wimpie Snyman, Director da Banca Corporativa e de Investimentos do FNB Moçambique. 

Estes projectos estão igualmente em conformidade com a política de combustíveis fósseis do FirstRand, segundo a qual tem vindo a transferir a sua carteira de financiamento para o gás natural, como combustível de transição fundamental para um abastecimento mundial de energia com menor teor de carbono.

0 visualização

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI