EUA anunciam 38,2 milhões para assistência humanitária


Foto: Estacio Valoi/Metuge


MAPUTO – O Programa Mundial para a Alimentação (PMA) recebeu uma visita da Subsecretária de Estado para os Assuntos Políticos dos Estados Unidos, Sra. Victoria Nuland, no dia 14 de Junho, no armazém do PMA na Cidade de Matola, durante a qual o Governo dos Estados Unidos da América anunciou uma doação de 29,5 milhões de dólares para apoiar a assistência alimentar humanitária do PMA a 940 mil pessoas afectadas pela insegurança, conflitos e desastres naturais no Norte de Moçambique, bem como o aprimoramento do registo de populações deslocadas em conjunto com o Governo de Moçambique e parceiros.


A contribuição dos Estados Unidos da América surge num momento muito crítico para as

comunidades afectadas pelo conflito em Cabo Delgado e nas províncias vizinhas. A ajuda

alimentar quase duplicou este ano. No início de 2021, o PMA apoiou quase meio milhão de

pessoas. Até Maio de 2022, a assistência do PMA aumentou para 940 mil pessoas. A ajuda dos Estados Unidos da América também tem servido para dar resposta ao aumento da

insegurança alimentar em todo o mundo devido à guerra na Ucrânia.


A Directora-País do PMA em Moçambique, Antonella D'Aprile, afirmou: “O PMA recebe com gosto a visita da Subsecretária de Estado para os Assuntos Políticos dos Estados Unidos, Sra. Victoria Nuland e, apesar de tantas crises sobrepostas em todo o mundo, a contribuição de 29,5 milhões de dólares dos Estados Unidos para o povo de Moçambique é louvável. O apoio consistente dos Estados Unidos ao longo dos anos é garantir que as famílias que sofrem o conflito não caiam ainda mais na insegurança alimentar”, disse D'Aprile. “A ajuda alimentar, juntamente com a recuperação dos meios de subsistência, é fundamental para criar paz e estabilidade para Moçambique e oferecer um futuro melhor às próximas gerações”.


O apoio contínuo de doadores como os Estados Unidos é fundamental para manter as

operações do PMA em Moçambique para salvar vidas no Norte, onde a insegurança e as

catástrofes naturais devastadoras continuam a impulsionar repetidos deslocamentos e fome.

A maioria das famílias vulneráveis depende quase inteiramente da ajuda humanitária, e a

região Norte abriga 70% da insegurança alimentar aguda de Moçambique, de acordo com o

último IPC1

.


O Governo dos Estados Unidos é o maior doador e parceiro das operações para salvar vidas

do Programa Mundial para a Alimentação (PMA) das Nações Unidas em Moçambique. Através da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o PMA Moçambique recebeu um total de 207 milhões de dólares em contribuições desde 2017.


Actualmente, doadores como o Governo dos Estados Unidos estão a permitir que o PMA

apoie 940 mil pessoas afectadas por conflitos nas províncias do Norte de Cabo Delgado,

Nampula e Niassa.(Moz24H)

28 visualizações0 comentário