Efeitos da Covid-19 Condicionam actividades da AP em Manica



A pandemia da Covid -19,  o novo Coronavirus forçou a Assembleia Provincial de Manica a abster se do processo de fiscalização aos distritos e em outros órgãos tutelados pelo executivo ao nível daquele ponto do país.

A informação foi tornada pública pelo porta voz daquele órgão fiscalizador das actividades desenvolvidas pelo executivo provincial, Abel Valentim Tomé da Cruz, a margem da segunda sessão ordinária que decorrerá até sexta feira.

Abel da Cruz, realçou que como alternativa da não fiscalização, os membros do órgão recorreram ao processo de acompanhamento através dos membros residentes nos respectivos círculos eleitorais.

"A presente Sessão decorre numa altura em que estamos numa situação difícil, estamos perante esta pandemia da Covid-19, em que muitas das actividades que deveriam ocorrer não poderam ocorrer. Tendo em conta e de acordo com o próprio regimento da Assembleia Provincial, mesmo a própria lei e a constituição da República,  prevê que a Assembleia Provincial faça a fiscalização das actividades do Conselho Executivo provincial, mas nós infelizmente entramos para esta Sessão sem ter a ousadia de fazer a fiscalização por vários motivos, onde um dos motivos é esta questão de pandemia que fez com que os recursos financeiros cedidos para a Assembleia Provincial não fossem suficientes para fazer a deslocação dos membros", explicou.

Entretanto, os membros da Assembleia Provincial não pouparam duras críticas ao executivo ao considerar que pouco ou nada estão a fazer com vista a estancar a problemática de abandono das obras por parte dos empreiteiros desonestos assim como a mineração artesanal (garimpo), este último considerado a maior dor de cabeça para os agricultores pois culmina com a poluição da água dos rios, tornando a imprópria para a irrigação dos campos.

Durante a Sessão cujo término está previsto para esta sexta feira, 02 de Outubro, serão levadas a cabo dentre várias propostas de agenda a apresentação e apreciação do balanço do plano e orçamento do Conselho Executivo provincial de Manica, referente ao primeiro semestre do ano 2020, a apresentação e apreciação da proposta do plano e orçamento do Conselho Executivo provincial para o ano 2021 bem assim apresentação e debate sobre o tema 'efeitos da mineração na área da agricultura'.

De recordar que a Assembleia Provincial de Manica é constituída por 82 membros dos quais 68 são do Partido Frelimo e os restantes 14 da Renamo. (Benedito Cobrissua)

30 visualizações0 comentário