Editor do Moz24h e chefe de investigação do CJI eleito membro do Board do GIJN


O jornalista moçambicano, Estacio Valoi foi eleito membro do corpo directivo da Rede Global de Jornalismo de Investigação em representação da Africa Sub-Sahariana. A eleição de Estacio, editor do Moz24h e chefe de investigação do Centro de Jornalismo Investigativo (www.cjimoz.org) teve lugar durante a mais recente Conferencia Global sobre Jornalismo de Investigação (GIJN) realizada na cidade alemã de Hamburg durante o mês de Setembro último, onde estiveram presentes 1700 jornalistas provenientes de 130 países.

Na altura David E. Kaplan Director executivo do GIJN referenciou que “Ao nos reunirmos para a 11ª Conferência Global de Jornalismo Investigativo, parece um bom momento para compartilhar novamente com nossos colegas de onde vêm a Rede Global de Jornalismo Investigativo e suas conferências. Foi uma ideia simples no final do século 20 - reunir os jornalistas investigativos do mundo para compartilhar seus conhecimentos uns com os outros - que deu origem ao GIJN, que agora cresceu para 182 organizações membros em 77 países.”

A eleição de Estacio Valoi para o Board do GJIN como seu representante na Africa Austral, representa os interesses de todos os jornalistas de investigação da região.

Estacio Valoi é Jornalista de Investigação, fotografo, radialista e documentarista focalizado em crimes ambientais, corrupção em Moçambique. Recentemente trabalhou em histórias relacionadas à caça furtiva de rinocerontes e elefantes, bem como à grande quantidade de corrupção nas indústrias de pedras preciosas e madeira.

Valoi também faz parte do Oxpeckers (https://oxpeckers.org) e assessora esta organização em uma ampla gama de problemas ambientais na região, assim como é membro do colectivo de investigadores, https://www.investigativecollective.com/members/estacio-valoi/ (AIPC). Ele cobriu uma série de investigações ambientais para vários jornais locais. Jornalista do Jornal Moz24h e do Centro de Jornalismo de Investigação de Moçambique, o primeiro centro do género, as suas investigações suas investigações foram apresentadas pelo Fórum para Repórteres de Investigação Africanos, Estação de Rádio Alemã DW, Estação de TV da África do Sul (SABC), Fundação Reuters Thompson e e-TV Le Monde, Foreign Policy, Aljazeera, M&G, Daily Maverick, The Star, 100Reporters e outros órgãos de informação espalhados pelo Mundo.

Em 2018, uma investigação realizada por Valoi, revelou que os sindicatos criminais estavam frequentemente ligados aos mais altos níveis do governo, em Montepuez, uma área devastada por práticas destrutivas de mineração e remoção forçada de membros das comunidades. Seu relatório revelou que esses crimes também foram cometidos por uma elite local que lideram uma empresa multinacional que minera pedras preciosas.

Outros seis membros eleitos como representantes regionais foram, Marina Walker Guevara (América do Norte), Fernando Rodrigues (América Latina) e Rana Sabbagh (Oriente Médio / Norte da África), além dos membros em geral Brant Houston, Paul Radu e Julia Stein

A Rede Global de Jornalismo Investigativo está aberta a organizações sem fins lucrativos, ONGs e organizações educacionais, ou equivalente, que trabalham activamente no apoio a relatórios de investigação e jornalismo de dados relacionados. Entidades governamentais não são elegíveis para participar. Nem jornalistas a titulo individual bem como empresas jornalisticas com fins lucrativos, embora apoiem jornalistas investigativos em todos os sectores.(Redação)

375 visualizações2 comentários

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI