Distrito de Palma continua inacessível via terrestre


O Distrito de Palma, onde decorre o maior projeto de exploração de gás natural liquefeito, continua inacessível via terrestre, passando por vila de Nangade, a estrada que nos últimos tempos tem sido usada para chegar naquele distrito do norte do Cabo Delgado.

Residentes em Nangade sede, contam que as viaturas continuam paradas na estação e outras já regressaram a vila de Mueda. Tudo porque os terroristas foram vistos na zona de Mandimba, onde na sexta-feira passada, atacaram incluindo, o acampamento da polícia de guarda fronteiras.

"Até a tarde desta terça-feira, estavam lá os insurgentes. Vimos também a patrulha de três helicópteros, mas depois regressaram, mas a verdade é que já passou uma semana que nenhum carro segue a vila de Palma" , descreveu uma fonte.

Pelo menos um residente de Palma-sede, contactado está manhã ( de quarta-feira) confirmou que os carros ainda não estão a passar na zona de Pundanhar, facto que continua agravar os preços de produtos básicos.

"Eu fui na semana passada comprar um saco de 25 kg de farinha de a 1700 e na segunda feira encontrei 1800 meticais. O arroz só tem 2.250 a 2.500 meticais, isto está cada vez mais difícil se adaptar aqui", lamentou.

A falta de transitabilidade na actual via que dá acesso a vila de Palma, acontece numa altura em que o governo local através de um documento com assinatura ilegível da Secretária Permanente, Rosa Pilale, os Funcionários e Agentes do Estado, que fugiram devido a insegurança, foram solicitados para se fazer presente, até dia 2 de fevereiro próximo, sob o risco de serem sancionados.(Moz24h)

346 visualizações0 comentário