Desaparecimento do jornalista Ibraimo Mbaruco chega a ONU através dos RSF


A organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras (RSF) recorreu a um grupo de trabalho da Comissão dos Direitos do Homem das Nações Unidas a quem pediu uma "investigação independente e imparcial" ao desaparecimento do jornalista moçambicano Ibraimo Mbaruco,a 7 de abril na província de Cabo Delgado.

Em comunicado divulgado na sexta-feira, 3, o responsável da RSF para África Arnaud Froger disse que"o silêncio das autoridades sobre este caso de um jornalista desaparecido nos últimos três meses tem sido insuportável para a família”, e reiterou que a organização está determinada a “descobrir o que lhe aconteceu".

Froger lembrou que “não é a primeira vez que jornalistas são agredidos, atacados ou detidos" na província.

"Ibraimo Mbaruco está morto? Quem eram os soldados que o cercavam quando escreveu a sua última mensagem? Está detido, e se sim, por que razões? Há muitas questões a que as autoridades moçambicanas devem responder", salientou Arnaud Froger. (Moz24h)

109 visualizações0 comentário