Dívidas Ocultas:Partido Frelimo recebeu 10 milhões de dólares


Filipe Nyusi presidente da Frelimo e Armando Guebuza presidente honorário

O partido Frelimo também beneficou-se do dinheiro resultante das chamadas « dívidas ocultas». Um agente do FBI, apresentou noTribunal de Nova Iorque que julga o caso, e perante o Grande Júri, documentos que comprovam que o partido Frelimo recebeu 10 milhões de dólares da dívidas ocultas nos meses de Março, Maio e Junho de 2014. Neste período, o partido e o Estado eram chefiados por Armando Guebuza. Apesar, do seu filho, Ndambi Guebuza, e seus antigos colaboradores próximos, estarem detidos no caso das « dívidas ocultas», o antigo presidente da República e do partido Frelimo, ainda não foi directamente implicado. Dos seus antigos colaboradores detidos o destaque vai para o antigo ministro das Finanças, Manuel Chang, detido na África do Sul e a enfrentar um processo de extradição. Moçambique e Estados Unidos disputam a sua extradição. Não menos sonante é figura de Gregório Leão, antigo director dos Serviços de Informação e Segurança do Estado, SISE, instituição tida com o coração do « Guebuzismo». Os serviços secretos foram centrais na governação de Armando Guebuza. A mulher do antigo chefe da secreta, Ângela Leão, também está detida em conexão com as « dívidas ocultas». Outro colaborador próximo de Armando Guebuza, que está a ver o sol aos quadradinhos é Renato Matusse, seu antigo Conselheiro Político. Enquanto, os outros acusados já estavam detidos, Matusse, continuou em liberdade, aparentemente devido a sua proximidade com presidente da República, Filipe Nyusi

Há na opinião pública moçambicana grande expectativa em relação ao que acontece no tribunal norte- americano onde se julga o caso das « dívidas ocultas». Acredita-se que de Nova Iorque há mais possibilidade de se conhecer a verdade com os respectivos detalhes. Apartir de Nova Iorque ficou-se a saber que Ndambi Guebuza jogou uma papel fundamental na aproximação da Prinvest ao Governo moçambicano. E, por isso terá recebido qualquer coisa como 50 milhões de dólares.

Mas também acredita-se que de Nova Iorque, poderá ficar-se a saber o papel que alguns governantes tiveram no calote. Como, por exemplo, o papel de Filipe Nyusi, actual presidente da República, na altura ministro da Defesa.

Não é a primeira vez que o partido Frelimo é citado como tendo se beneficiado de dinheiro resultante de actos de corrupção. No caso de corrupçaõ nos Aeroportos de Moçambique, os implicados disseram que parte do dinheiro foi usado para reabilitar a Escola do Partido Frelimo, na Matola. Recentemente, a antiga ministra do Trabalho, Helena Taípo, disse que parte do dinheiro desviado no caso INSS, foi usado para financiar a campanha do partido Frelimo. ( Redacção com CIP)

63 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI