Dívidas ocultas: Julgamento regressa a 17 de Janeiro, Guebuza ouvido a 17 de Fevereiro


Juiz Efigénio Baptista


Maputo - O Juiz Efigenio Baptista marcou o regresso do julgamento do Caso das "Dívidas Ocultas "para o dia 17 de Janeiro de 2022, segundo um despacho por ele exarado que altera a data inicial que previa que a audição de declarantes iria retomar a 6 de Janeiro,. O julgamento foi interrompido a 13 de Dezembro para o cumprimento da quarentena obrigatória de 14 dias, devido ao registo de casos positivos para a covid-19.

A notificação não indica os motivos do adiamento do retorno do julgamento porém acredita-se que poderá estar relacionado com a precaução relativa a COVID-19, visto que Moçambique tem estado a registar números recordes de casos positivos do novo coronavírus, impulsionado pela nova variante Ómicron.

O julgamento irá retomar com a audição do declarante Zulficar Ahmad, que visa rebater o depoimento do declarante Imran Issa, que teve uma aparição polémica que originou contestação pelo facto de à data dos factos ter sido advogado de António Carlos do Rosário, um dos principais réus deste caso.

O juiz Efigénio Baptista apresentou um novo calendário de audições deste caso com destaque para a data de 17 de Fevereiro de, quando será ouvido como declarante antigo Presidente moçambicano, Armando Emílio Guebuza..

Mas antes, a 11 de Fevereiro de 2022, será ouvido o actual Ministro das Economia e Finanças, Adriano Maleiane, enquanto Victor Manuel Borges, antigo Ministro das Pescas, será ouvido a 8 de Fevereiro, e o dia 10 do mesmo mês está reservado para a audição de Alberto Ricardo Mondlane, que desempenhou as funções de Ministro do Interior.(VOA)

88 visualizações0 comentário