CTA afirma que raptos minam o ambiente de negócios e de investimento privado em Moçambique


A CTA- Confederação das Associações Económicas de Moçambique tomou conhecimento, de forma perturbante e chocante, da ocorrência de mais dois raptos na manhã de ontem, dia 07 de Outubro de 2021, na cidade de Maputo, dos cidadãos Basit Gani, médico afecto ao Hospital Privado de Maputo e Vice- Presidente da Associação Moçambicana de Empresários e Empreendedores Muçulmanos (AMMEM), e Nazir Tadkir, empresário na área de restauração, aprofundando o clima de incerteza e insegurança no país.

Unindo a voz da classe empresarial, em especial com a da AMEEM, a CTA vem

mais uma vez repudiar este acto criminoso e hediondo cujas consequências

afectam não só às famílias das vítimas e à classe empresarial mas igualmente

aos cidadãos moçambicanos no geral na medida em que uma das vítimas é um

cidadão que serve o povo no sector da saúde, um sector já fragilizado pela

falta de pessoal médico para cobrir a demanda nacional e pelo impacto nefasto

da pandemia da Covid19.

Estes raptos revelam que a criminalidade em que a sociedade moçambicana

está mergulhada, está a atingir níveis alarmantes contribuindo para um maior

clima de desespero, incerteza e insegurança, afectando negativamente o

ambiente de negócios e o investimento privado em Moçambique.

A CTA condena estes crimes horrendos e reivindica veemente que as entidades

competentes accionem imediata e aceradamente os mecanismos para

combater de forma eficiente, concreta e com resultados visíveis estes crimes,

por forma a devolver a paz, a segurança e a estabilidade à classe empresarial e

ao país.

Manifestamos ainda o nosso sentimento de pesar e solidariedade aos familiares,

a comunidade empresarial e a sociedade em geral por esta ocorrência.

Por um Melhor Ambiente de Negócios!(X)

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo