CPJ diz que condenação do jornalista Omardine Omar é injusta e deve ser anulada


O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) diz defende que as autoridades moçambicanas deverão considerar o pedido de recurso do jornalista Omardine Omar e permitir que ele e todos os profissionais da imprensa trabalhem livremente.

Para o CPJ, com sede em Nova Iorque, a condenação de Omardine Omar é injusta.

“Omardine Omar foi detido pela própria força policial que ele investigava por suposta corrupção, e é preocupante que o juiz tenha assim procedido, apesar de um procurador ter pedido a anulação das acusações”, disse Angela Quintal, coordenadora do Programa de África do CPJ.

Quintal, que pede a anulação da condenação no recurso, diz ainda que "as autoridades moçambicanas devem enviar uma mensagem inequívoca de que usar uniforme (policial) não é uma licença para abusar de jornalistas e cidadãos sob o pretexto de fazer cumprir os regulamentos da COVID-19". (Moz24h)

85 visualizações0 comentário