Confrontos entre jihadistas e forças governamentais em Cabo Delgado


Militantes islamitas confrontaram-se com as forças governamentais moçambicanas num novo ataque no distrito de Palma, perto de instalaçōes de um multimilionario projecto de exploração de gás, disseram quarta-feira à AFP fontes militares e de segurança.



Os confrontos ocorreram na quarta-feira à tarde quando os líderes regionais da África Austral se reuniram em Maputo e aprovaram o destacamento de uma força regional de reserva da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) para ajudar Moçambique a combater o terrorismo.

"Insurgentes tentaram atacar a posição das forças governamentais em Patacua, perto do local (da exploração do LNG) em Afungi e foram repelidos com apoio aéreo", disse uma fonte de segurança à AFP.

Um helicóptero da força aérea MI8 que tentava deslocar tropas da base em Patacua - a cerca de cinco quilómetros de Afungi - desenvolveu problemas técnicos e fez uma aterragem de emergência, disse a fonte militar.

"Palma tem estado sob ataque desde 21 de Junho", disseram também não dando mais pormenores.

A 24 de Março, os militantes ligados ao Estado Islâmico lançaram ataques coordenados a Palma, pilhando edifícios e assassinando residentes à medida que milhares fugiam.

Na sequência desse ataque, o gigante petrolífero francês Total retirou-se do local de exploração de gás da região.

O ataque de Março marcou uma intensificação da violência de três anos que expulsou cerca de 800.000 pessoas das suas casas, segundo as Nações Unidas, e ceifou a vida a mais de 2.900 pessoas, segundo o colector de dados de conflito ACLED.

Desde então, os residentes relataram escaramuças de baixa intensidade entre os insurrectos e as forças governamentais.

Esta semana, registou-se uma nova ronda de ataques.

O porta-voz das forças de defesa nacional não respondeu a um pedido de comentários. (VoA)

193 visualizações0 comentário