Celso "Comissões" Correia: Esclarecimento não Esclarecedor



Por: Venâncio Mondlane *


A INTELLICA SA, emitiu, no dia 19 de maio de 2022, quinta-feira, uma nota de esclarecimento, visando clarificar o que, segundo a firma, tem sido amplificado nas redes sociais e na comunicação social, sobre a associação de CELSO CORREIA, como accionista desta sociedade anónima.


Este é um daqueles casos que se encaixa como uma luva na mão no vetusto dito: foi pior a emenda que o soneto. Vamos por partes:


1. A nota diz, no primeiro parágrafo, que a Intellica surge como resultado do spinoff (separação de vendas).....duma "Consultora Global em 2006"...blá...blá...blá.


Aqui é que encontramos a lebre numa toca superficial. Reparem na tentativa de mascarar, manter oculto o nome da tal "Consultora Global". Porque não dizem claramente que era a "ERNST & YOUNG"? qual é pejo? porque se esquivam de assumir isso? Porque recorrem a camuflagem, a uma cortina de fumo para preservar o nome da ERNST & YOUNG oculto?


Já explico no ponto seguinte…acompanhem-me!


2. Em 2006 ocorreu o desmembramento do negócio de consultoria da ERNST & YOUNG e a partir desta operação se formou a INTELLICA, herdando esta todos activos, incluindo os recursos humanos, entre os quais se contam os nomes dos gestores com "mais de 20 anos de experiência" descritos no parágrafo 2 da nota de esclarecimento.


Não desistam de ler.....vem mais revelações.... continuem comigo!


3. Tuto mafia. Este desmembramento, ocorreu como fruto duma engenhosa operação mafiosa, de tráfico de influências e de privilégio de detenção de informação poderosa de quem está bem colocado e relacionado com o poder.


ARMANDO EMÍLIO GUEBUZA, partilha o plano de "Reversão da HCB" com o dono do Grupo INSITEC, o grande driblador financeiro, CELSO CORREIA. Para se executar a proposta financeira de reversão era necessário ter uma firma de consultoria de grande envergadura. Aí é que entra a ERNST & YOUNG que detinha uma unidade especializada para este tipo de operações.


Vamos caro leitor.....ainda ficarás não só surpreendido....mas de boca aberta e, talvez, a salivar sobre o tampo da tua mesa. Concentre-se!


4. ERNST & YOUNG já era auditora da HCB, logo, estava impossibilitada de ser, em simultâneo, consultora do meganegócio de reversão da HCB para o Estado Moçambicano. Então que se fez? A ERNST & YOUNG se desfaz da sua unidade de consultoria e assim surge a INTELLICA, que usando o mesmo activo, as mesmas capacidades técnicas, humanas e tecnológicas da ERNST & YOUNG, contorna o risco de "incompatibilidade" e o negócio é viabilizado. Mas, agora, o dono do negócio, tanto da INTELLICA quanto da Engenharia da Reversão da HCB tem um nome sonante e com muitas psicadélicas a sua volta: CELSO CORREIA.


5. Tuto mafia! Vejam que o driblador financeiro, CELSO "Comissões" CORREIA, não precisou gastar um único centavo para adquirir a INTELLICA (Ex componente técnica da ERNST & YOUNG), fizeram um contrato-promessa (aquilo que no comércio internacional de chama de "mercado de futuros"): tendo eu CC na mão o meganegócio da


reversão, dão toda componente técnica da E&Y e com o pagamento dos serviços de consultoria ao Estado Moçambicano faz-se o encontro de conta. Negócio típico de um intermediário sagaz. Aqueles que usando de trafico de influências, vivem como hienas devorando o que os outros produzem ou criam. Exemplo flagrante e emblemático do que é a Economia Moçambicana: Especulativa.


6. O meganegócio da reversão foi feito e a cerimónia de reversão da HCB ocorreu, na vila de Songo, no dia 28 de setembro de 2007. Nesta operação ocorrem muitas coisas. Uma delas foi, segundo os ficheiros secretos da WikiLeaks, 50 Milhões de dólares no bolso de ARMANDO EMÍLIO GUEBUZA, tutor, promotor e protector de CC durante o mandato que originou as dívidas ocultas.


Amigo leitor! Queres saber mais?.... não estás com a vista cansada?.....ok...se é isso que queres.... então vamos continuar com nossa viagem….!!!


7. Tuto mafia. Na mesma altura em que se forma INTELLICA, sem gastar um único centavo, outros negócios se cruzavam, usando a mesma lógica do intermediário sagaz: faz um acordo com a CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS (Banco Português), cujas detalhes deixaremos para próxima edição, e assim consegue adquirir cerca de 17% das acções da Holding SCI e se torna PCA do BCI. Dinheiro nunca foi chegou a ser pago à CAIXA.


Agora vejam só isto! Quem financiou os pouco mais de 700 Milhões de dólares para reversão da HCB para o Estado Moçambicano? Eureka: BPI um grupo financeiro com ligações a CAIXA GERAL de DEPÓSITOS, com acordos conhecidos e secretos com CELSO "Comissões" CORREIA.


Hehehehehe.....mas acham mesmo que existe cegueira colectiva nos Moçambicanos?


8. Em 2016 se operam as cosméticas mudanças na estrutura accionistash da INTELLICA de que a Nota de (d) Esclarecimento comporta, quando CC entra para o primeiro Governo de FILIPE JACINTO NYUSI. Nesta mesma altura deixa, também, o cargo de PCA do BCI. Tudo mascarado. Tentativa de enganar incautos. Uma engenheira de cruzamento de participações, com cedências simuladas, renúncias feitas com habilidade teatral....mas tudo ficou na mesma, o poder efectivo não só continua nas mãos de CC, como, inclusivamente, ficou mais forte e alargado.


Prova disso são as adjudicações directas dos serviços de consultoria para INTELLICA de todo negócio "bom" até do de migalhas - como elaborar plano estratégico de investimento - de todo Sector Empresarial do Estado.


Caros amigos! CC continua a controlar e a arranjar negócio para INTELLICA. O nomes citados na nota de (d)esclarecimento são "Fauna(s) acompanhantes". Tuto mafia!


9. Não quero cansar muito o leitor, mas para terminar seria interessante se procurar saber das ligações, dos profundos prejuízos e "cabeçadas" dadas ao ESTADO MOÇAMBICANO com os negócios da CETA; CDN; INSS; TIM; Cimentos de Nacala e os detalhes sobre o BCI e HCB. Tuto mafia.


Por onde passa CC, deixa um rasto de destruição. É um rolo compressor de destruição massiva financeira.


Em conclusão: Essa nota de esclarecimento é o tiro que saiu pela culatra. Uma tentativa frustrada de procurar fazer maquiagem a um cadáver.


A Voz dos que não tem Voz - Administração


NOTA BEM. Um desafio: se querem mesmo esclarecer ao público divulguem o Livro de registo de acções da INTELLICA e todos acordos parassociais dos accionistas e corpo executivo da INTELLICA (*Deputado da Renamo)

815 visualizações0 comentário