Balanço “100 dias de governação caracterizados por diferentes adversidades”


O Presidente da República, Filipe Nyusi, disse na noiteem Maputo, que os primeiros cem dias do seu segundo mandato foram caracterizados por diferentes adversidades que chegaram a minar a soberania nacional.

Filipe Nyusi destacou que os ataques a alguns distritos do norte de Cabo Delgado e no centro do país, constam dos constrangimentos dos cem dias da sua governação.

“ A governação do período em análise, foi igualmente caracterizada pela intensificação de ataques de natureza terrorista na província de Cabo delgado que com actos, além de causar insegurança, procuram minar a nossa soberania, sendo que as nossas Forças de Defesa e Segurança tudo têm feito para defender as nossas populações. E em algumas partes das províncias de Manica e Sofala, no centro do país, continuamos a registar ataques armados esporádicos, protagonizados por elementos que se denominam por Junta Militar da Renamo, que por vezes gozam de alguma simpática”, disse.

O Estadista moçambicano abordou ainda que o surgimento no país da pandemia do coronavírus, também criou desconforto na governação.

“ No âmbito das medidas de prevenção, mitigação de transmissão da Covid-19, a nível institucional, adoptámos o plano de resposta a Covid-19 que consistiu nas declarações do dia 14 e 20 de Março, que culminaram com a declaração do estado de emergência a 30 de Março, que permitiu o governo de implementar medidas urgentes de excepção que são necessárias para prevenir a propagação da Covid-19 “, frisou.

Para fazer face a pandemia do coronavírus Filipe Nyusi disse que o plano de prevenção e resposta ao Covid-19 ronda aos 48 milhões de meticais.

“Ainda neste âmbito, formamos e empenhamos seiscentos voluntários em acções de sensibilização para a prevenção ao coronavírus em deferentes locais, mercados, paragens e outros espaços. O nosso plano multissectorial de resposta à situação da Covid-19 no estado e da emergência, comporta um orçamento de 48 mil milhões de meticais, dos quais vinte e sete mil milhões destinados aos seguimentos populacionais mais vulneráveis e micro-negócios”, disse.

O PR voltará a dirigir-se aos moçambicanos está sexta-feira, data do termino do Estado de Emergencia. Tudo indica que a medida poderá ser extendida, uma vez que os casos de infectados pelo Covid-19 continuam em espiral. (Moz24h)

78 visualizações0 comentário