Assassinos de Anastácio Matavel no “Bastião” da Frelimo estavam a bordo de Toyota Mark X ADE 127 M


Por Nazira Suleimane e Palmira Zungunze


A violência eleitoral atingiu ontem um dos seus pincâros com o barbáro e cobarde assassinato de Anastácio Matavele, um proeminente activista da sociedade civil da provincia de Gaza, está tida como “bastião” da Frelimo. A provincia de Gaza, berço dos primeiros dirigentes da Frelimo (Eduardo Mondlane, Samora Machel e Joaquim Chissano) tem estado no epicentro de estridentes gargalhadas no meio cientifico devido a estranhos números empolados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) que extravassam a ciencia exata. Matavel era o líder de missão de observação eleitoral na provincia para o pleito do próximo dia 15 de Outubro pela Sala da Paz. O assassinato do activista com alegada participação dos monstruosos membros de esquadrões da morte atrelados a policia, deixou em choque a sociedade civil. E uma familia enlutada.


Os assassinos de ocasião sairam do covil


Ao Moz24h, depois de ter tomado conta da noticia que mais uma vez colaca a intolerancia na fotografia do pais, várias fontes disseram-nos que quatro alegados agentes de Unidade de Intervenção Rápida (UIR) fazendo se transportar numa viatura Toyota Mark X com a chapa de matrícula ADE 127 MC emboscaram o finado a quem regaram com dez saraivadas balas de pistolas de AK-47. A Mark X, contaram-nos, ter-se-á envolvido, em seguida, em acidente de viação com mais dois carros ao longo da Estrada Nacional número 1, tendo dois dos malfeitores morrido no local e um contraído ferimentos ligeiros. Este último foi levado ao Hospital Provincial de Gaza onde se encontra a receber tratamento médico. Outros dois puseram-se em fuga Na viatura em que se faziam transportar os malfeitores foram encontradas pistolas e armas de tipo AK47 e máscaras.

A vítima acabava de sair do Complexo Titiana, situada no bairro 11, local onde fez a abertura de uma sessão de formação de observadores eleitorais organizada pelo Centro de Aprendizagem da Sociedade Civil (CESC) em parceria com a Liga das ONG’s em Moçambique (JOINT).

Matavel foi alvejado com cerca de 10 tiros na região do abdómen e membros inferiores e foi imediatamente transportada para o Hospital Provincial de Gaza onde veio a perder a vida por volta das 13h00.

A suspeita de que o acto macabro foi praticado por agentes do Estado exige do governo celeridade para clarificação deste crime para desanuviar a nuvem que se solidifica segundo a qual os Esquadrões da morte estão dentro do Estado


CIP e Sala da Paz repudiam assassinato de Anastácio Matavele


“O assassinato de Anastácio Matavele é um ataque directo não só a este cidadão e à sua família mas também a todas as organizações da sociedade civil e pessoas individuais que trabalham na observação eleitoral independente. O CIP condena este acto macabro e exige pronunciamento público do candidato da Frelimo e presidente da República, Filipe Nyusi, repudiando a violência eleitoral que se assiste em todo o país desde o início da campanha eleitoral”, escreveu o CIP

“A Sala da Paz, entende que estes actos são contra os direitos humanos e a liberdade de expressão plasmados na Constituição da República de Moçambique. Assim, apela-se as autoridaes competentes, para uma investigação aturada, com vista a encontraram-se os autores deste crime hediodo e, de uma forma exemplar serem punidos”Sala da Paz,

O CIP considera que a liderança da Frelimo e que é também do Governo, tem tido um silêncio cúmplice que legitima a violência.

“Os dirigentes da Frelimo que são o Governo, têm tido silêncio cúmplice face à violência na campanha eleitoral e isso pode ser visto como aprovação dessas práticas. É hora da Frelimo se pronunciar condenado estas práticas com veemência”, escreve o CIP, exigindo justiça célere no caso. “Com viatura usada para o ataque apreendida, com parte dos assassinos detidos, é agora muito mais fácil identificar os autores do crime macabro – os autores materiais e morais. Exige-se, portanto, uma justiça célere”, refere a organização da sociedade civil que tem em todo o país uma missão de observação eleitoral.

A vítima acabava de sair do Complexo Titiana, situada no bairro 11, local onde fez a abertura de uma sessão de formação de observadores eleitorais organizada pelo Centro de Aprendizagem da Sociedade Civil (CESC) em parceria com a Liga das ONG’s em Moçambique (JOINT).

Anastácio Matavele era Director Executivo do Fórum das Organizações Não-Governamentais de Gaza (FONGA) e Coordenador do Gabinete de Crise da Sala da Paz, uma missão de observação eleitoral focada na prevenção e combate à violência. Matavel era conhecida voz activa da sociedade civil, defensor dos direitos humanos das populações desfavorecidas.

0 visualização

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI