ACNUR e parceiros atribuem meios auxiliares a pessoas portadoras de deficiência em Cabo Delgado



A Agência das Nações Unidas para os Refugiados, ACNUR, em parceira com a Humanity Inclusion (HI), atribuiu bengalas brancas, cadeiras de rodas e canadianas a 122 pessoas portadoras de deficiência em Cabo Delgado. Entre os dias 2 e 7 de Fevereiro, o ACNUR e a HI atribuíram 35 cadeiras de rodas, 70 canadianas e 35 bengalas brancas após rigorosa identificação e avaliação de pessoas portadoras de deficiência num esforço conjunto com o Fórum de Associações Moçambicanas de Pessoas com Deficiência (FAMOD), pontos focais de protecção, comunidades deslocadas e de acolhimento.


As pessoas portadoras de deficiência representam um dos grupos mais vulneráveis entre as comunidades deslocadas devido aos desafios de mobilidade que enfrentam durante a fuga, e nos locais onde se estabelecem. Muitas dependem do apoio de familiares, vizinhos ou desconhecidos. Os desafios de acessibilidade representam um entrave nas tarefas diárias, mas também no acesso ao mercado de trabalho. A atribuição de meios auxiliares é uma oportunidade chave para integrar este grupo na sociedade e reduzir a sua vulnerabilidade.


“As pessoas portadoras de deficiência são dotadas de enorme resiliência e talento. Em Cabo Delgado conhecemos excelentes artistas, carpinteiros, pintores, alfaiates entre outros. Como todas as pessoas, têm sonhos e ambições, querem trabalhar e ser independentes. A atribuição de meios auxiliares permite-lhes alcançar o seu potencial.” disse Margarida Loureiro, Chefe de Escritório do ACNUR em Cabo Delgado durante a atribuição.


Desde 2021, o ACNUR e parceiros atribuíram meios auxiliares a mais de 200 pessoas, um trabalho que irá continuar em 2022. É necessário garantir financiamento adicional para continuar a apoiar grupos vulneráveis no norte de Moçambique e assim assegurar que as suas necessidades são cobertas. Devido à situação de violência vivida no norte de Moçambique, mais de 735,000 pessoas foram forçadas a fugir das suas zonas de origem.


A maioria encontra-se em Cabo Delgado, nos distritos de Pemba e Metuge. De acordo com os exercícios de monitoramento de necessidades e de protecção do ACNUR, cerca de 15 por cento da população deslocada vive com algum tipo de deficiência.(Moz24h)

27 visualizações0 comentário