Aboud Rogo Mohammed: O líder ideológico da insurgência em Cabo Delgado


Por Sérgio Cossa


O clérigo queniano Sheik Aboud Rogo, defensor de uma versão radical do Islão, morreu á tiros em Agosto de 2012 em Mombaça, Quénia, mas a sua influência sobre a insurgência ou jihadismo que tem lugar em alguns distritos da Província de Cabo Delgado é inequívoca. Segundo um estudo do Instituto de Estudos Sociais e Económicos,IESE , recentemente publicado, na sua génese o grupo que hoje é famoso pelo terror que semeia na Província de Cabo Delgado foi influenciado pelos discursos de Aboud Rogo Mohammed. “Para além do estudo do Alcorão, as madrassas geridas pelos grupos Al-Shabaab também projectavam vídeos do Sheik Aboud Rogo. Os vídeos de propaganda do Sheik Aboud Rogo eram debatidos nas Madrassas..”, pode ler no referido estudo intitulado: “ Radicalização Islâmica no Norte de Moçambique – o Caso de Mocímboa de Praia”. Os vídeos também eram difundidos com recurso a rede social Whataap.

Aliás, assistir a vídeios do clérigo Aboud Rogo Mohammed tinham um “ carácter obrigatório” nas famílias dos indivíduos ligados ao grupo Al-Shabaab. Al-Shabaab significa “juventude” e é o nome pelo qual são conhecidos os que hoje é mais comum chamar-se insurgentes, no distrito de Mocímboa da Praia, local onde decorreu o estudo que estamos a referenciar. Eles próprios intitulavam-se Al-Shabaab. São conhecidas conexões com o grupo jihadista Al-Shabaab que actua na Somalía. O estudo do IESE refere que, em algum momento, os insurgentes que actuam em Cabo Delgado, reforçaram a sua capacidade de acção militar pela presença nas suas fileiras de jovens provenientes de vários países africanos como Tanzania, Uganda e Região dos Grandes Lagos. Serve de referência dizer que a Polícia da República de Moçambique, PRM, já apresentou publicamente, indivíduos estrangeiros detidos em conexão com a insurgência em Cabo Delgado. Recentemente, o Moz24H reportou a detenção de um indíviduo no Sudão que pretendia traficar quantidade considerável da armas para Moçambique. Interrogado pelas autoridades locais, o referido indivíduo disse que o armamento destinava-se a uma Mesquita na Mocímbia da Praia.

Poucas semanas antes da sua morte, Aboud Rogo Mohammed, viu serem -lhe aplicadas sanções pelas Nações Unidas e também pelo governo americano. As Nações Unidas acusavam-lhe de “ ameaçar a paz, segurança e estabilidade da Somália ao conceder apoio financeiroi, material e logístico ao grupo Al- Shabaab”. Aboud Rogo, como era mais conhecido, também era acusado de ser o “ principal ideológo” do grupo jihadista queniano conhecido como Centro da Juventude Islâmica, tido como aliado do al-Shabaab somali. Entre outras coisas, Abou d Rogo, defende que, “todo o muçulmano devia fazer tudo ao seu alcance como perder a vida ou riqueza em proveito de Alá”. Rogo era contra a educação formal e defensor da “ guerra santa “ . Para ele era proibido por Alá, um muçulmano fazer parte das Forças de Segurança que combatem outros muçulmanos. Isto a propósito de elementos muçulmanos pertecentes as Forças de Segurança quenianos que combatiam na Somália o grupo jihadista Al-Shabaab. Sobre os discursos de Aboud Rodo, pode- se ler no estudo do IESE, “ convence os mais novos que vivem num mundo corrupto, rodeados de pessoas que lhe mentem constantemente, levando-os a desconfiar de tudo e de todos e fazendo-os sentir-se “ especiais”.

A morte de Aboud Rogo Mohammed a 27 de Agosto de2012 foi motivo de quatro dias de protestos em Mombaça no Quénia

983 visualizações

Subscreva a nossa Newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI