A expansão da Rússia e criação de zonas industriais em Moçambique


Denis Manturov dando brifieng a Vladimir Putin no Kremlin

A Rússia está considerando a criação de suas zonas industriais em Moçambique e Namíbia para desenvolver exportações para a África, disse o ministro da Indústria e Comércio, Denis Manturov, em entrevista à TASS no fórum Rússia-África, recentemente terminado.

Denis Manturov, enfatizou que essas zonas podem ser criadas em vários países africanos. “Deveríamos formar instalações industriais no sul da África, na costa oeste, na costa leste, tendo em mente, antes de tudo, as vantagens logísticas de um determinado país. Hoje, em particular, estamos considerando opções como Moçambique, Namíbia, usando suas capacidades portuárias em termos de logística. Hoje, em particular, o ministro [Ministro de Industrialização e Comércio da Namíbia, Tjekero Tveya] nos apresentou as perspectivas de desenvolvimento de 2.000 hectares de terra para fins industriais, com um convite de nossos operadores econômicos russos que possam estar interessados ​​em localizar suas fábricas de montagem lá" disse.

Manturov também acrescentou que essas zonas podem ser criadas em vários países africanos.

Neste momento a Rússia está trabalhando no estabelecimento da sua zona industrial no Egito. O projeto prevê a criação de uma zona especial com um regime tributário leve para empresas russas. A zona industrial estará localizada no leste de Port Said. O acordo intergovernamental entre Rússia e Egito, que regulamenta os parâmetros da zona especial, foi assinado em 23 de maio de 2018. Segundo previsões do Ministério da Indústria e Comércio, levará cerca de 13 anos para concluir o projeto, mas até 2026, residente as empresas poderão produzir produtos no valor de US $ 3,6 bilhões anualmente nessa zona.

Andrei Slepnev, diretor geral do Centro de Exportação da Rússia, disse à TASS que as empresas residentes da zona industrial russa no Egito podem iniciar a produção em 2022.

Até agora, foram celebrados acordos chaves com 25 empresas residentes. Prevê-se que até 2024 já existam cerca de 50 empresas residentes. A construção da infraestrutura da zona industrial russa começará em 2020. (Redação com TASS)

99 visualizações0 comentário